FECHAR <----

CLIQUE AQUI
 

Introdução
Para quem vive do DÍZIMO e tem que pagar as contas da obra do SENHOR, é muito triste saber que muitas pessoas não dão, ou deixaram de dar o DÍZIMO, por pensarem que dar o DÍZIMO é uma pratica ultrapassada, e que só era um dever dos servos de DEUS no Antigo TESTAMENTO. Porém isso é um engano e falta de lê mais a palavra de DEUS.

SE VOCÊ NÃO É DIZIMISTA VEJA ESTE VÍDEO:
São muitos os textos que os ignorantes da palavra do SENHOR, e negligentes do saber, escrevem para dizerem mentiras sobre o DÍZIMO.
Portanto vamos esclarecer o que é o dízimo, o dízimo no Antigo e Novo Testamento.
 Leia também:

Após a leitura que se segue você estará apto a responder:

1. O que significa a palavra dízimo?
2. No que o dízimo era usado no Antigo Testamento?
3. Quais são as palavras gregas que falam sobre o DÍZIMO?
4. Quais são os textos do Novo Testamento que falam sobre o dízimo?
5. Quais os textos que Jesus ratifica o dízimo?
6. O nosso dízimo e ofertas devem ser uma expressão do que?
7. Um crente espiritual só contribui com dez por cento?

I. No Antigo Testamento (Ml 3.7 – 11).

1. O QUE É O DÍZIMO?

O DÍZIMO é a décima (10%) parte da nossa renda.  É uma forma de você mostrar sua gratidão pelas bênçãos recebidas de DEUS.
No Antigo Testamento era oferecido a DEUS, pelos Israelitas, a décima parte, tanto das ovelhas como dos animais e de todas as colheitas (Lv 27.30 – 32; Hb 7.1 – 10).

O dízimo era usado para o sustento dos levitas (Veja o trabalho dos Levitas 2Cr 8.14; Nm 3.5-13), dos estrangeiros, dos órfãos e das viúvas (Dt 14.28,29).

2. O uso do dízimo em nossos dias

Hoje em dia o nosso dízimo é usado, quando se dar em uma Igreja séria, para sustentar os que vivem trabalhando integralmente na Igreja, é usado para pagar Água, Luz, Construção e manutenção de templos, Alugueis de templos e sustentar missionários no campo, etc.

O dízimo deve ser visto como uma contribuição voluntária, regular, periódica e proporcional aos rendimentos recebidos, que todo batizado deve assumir como obrigação pessoal em relação à manutenção de sua Igreja local, onde congrega.

II. No Novo Testamento.

Recentemente eu li o seguinte: “Não há um só versículo no Novo Testamento, que registre a obrigatoriedade do cristão dizimar”. Essas palavras foram, certamente, escritas por um desses anti-dizimistas que andam por aí!

Vejamos alguns versículos no Novo Testamento que falam sobre o dízimo e ficará provado que o dizimar é dever de todo cristão!
O dízimo no Novo Testamento aparece no original grego em duas formas verbais e uma nominal, a saber:

1. Dekatóo, dar uma décima parte, dizimar, que aparece somente por duas vezes: Heb 7.6,9.

2. Apodekatóo, dar uma décima parte, dizimar, e que no grego é uma forma composta da primeira, e aparece por três vezes no Novo Testamento: Mat. 23.23; Luc. 11.42 e Heb. 7.5.

3. Dekáte, «décimo» (Heb. 7.2,4, 8,9).

1. O dízimo na carta aos Hebreus

O Novo Testamento menciona que Abraão pagou o dízimo de tudo a MELQUISEDEQUE (Hb 7.1,2).

A gora lembre-se que este mesmo Novo Testamento, diz que CRISTO é sumo sacerdote segundo a ordem de MELQUISEDEQUE (Hb 5.10). Isto significa que se a ordem é a mesma, os deveres e privilégios continuam também os mesmos. Resumindo, assim como Abraão dizimava, nos também devemos dizimar. Os filhos de Abraão na fé devem caminhar nos seus passos (Rm 4.12; Hb 7).

2. Jesus e o dízimo 
Você sabia que o próprio JESUS era a favor do dízimo no Novo Testamento?
Lc 11. 42 Mas ai de vós, fariseus, que dizimais a hortelã, e a arruda, e toda a hortaliça, e desprezais o juízo e o amor de Deus. Importava fazer estas coisas, e não deixar as outras.
Claramente Jesus estava ratificando a prática do dízimo!

JESUS ESTAVA DIZENDO que os fariseus não deveriam desprezar o juízo nem o amor a Deus, e jamais deixar de serem dizimistas.
Se ignorarmos essa doutrina sancionada por Cristo somente por que ela era parte da Lei, então sobre a mesma base devemos ignorar outros ensinamentos que também eram parte da velha aliança.

III. Dizimar é uma responsabilidade de todos seguidores de Jesus!

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas (Mt 23.23).

Não podemos fugir da responsabilidade de dizimar com o falso argumento de que Jesus, quando falou sobre o dizimo, estava falando apenas para os fariseus e não para os seus seguidores.

Observe que os fariseus eram fiéis no dízimo (Lc 18.12).
Agora note que a fidelidade dos seguidores de Cristo (dos cristãos) deve ser maior do que a dos fariseus. “Por isso eu afirmo a vocês que só entrarão no Reino do Céu se forem mais fiéis em fazer a vontade de Deus do que os mestres da Lei e os fariseus (Mt 5.20. NTLH)”.

Se você dá o dizimo, mas não é justo, não é misericordioso e não tem fé; então você é igual a um fariseu.
Já se você não dá o dizimo, porém e justo para com as pessoas, é misericordioso e tem fé, então você é pior do que um fariseu.

Para você ser mais fiel do que os fariseus (exceder a justiça deles), então você precisa obedecer as duas ordens de Jesus em Mateus 23.23.
1) fazer estas coisas! (Seja justo, misericordioso e tenha fé).
2) não omitir aquelas! (Não deixar de dá o dízimo).

Pergunta: “O que demonstra as disputas sobre o dízimo”?

O fato de que há crentes disputando sobre se devem contribuir ou não com uma miserável parcela de dez por cento mostra o baixo nível de espiritualidade em que se encontram.

1. O crente espiritual contribui com mais de dez por cento.

Quanto maior for à espiritualidade de um crente, maior será a sua liberdade para com o dinheiro com que contribui para a causa do evangelho, ou com que alivia as necessidades das pessoas ou seu redor.

Se gastarmos alguns minutos lendo os capítulos oitavo e nono de II Coríntios, veremos ali a promoção do princípio cristão de generosidade.

Isso é encorajado mediante a certeza de que Deus vê quem dá com generosidade, mostrando-se ainda mais generoso para com aqueles que agem dessa maneira.

O resultado será que os crentes que assim fazem de nada terão necessidade, pois o banco celestial tem imensas fortunas ali entesouradas. Esses fundos são postos à disposição dos generosos, e não à disposição dos que só dão com parcimônia. Se alguém semear com parcimônia, colherá parcimoniosamente; e se alguém semear com abundância, colherá abundantemente (ver II Cor. 9.6). Deus ama o homem que dá com generosidade (II Cor. 9.7).

O crente deve dar mais do que o dízimo. Pois “... o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará” (2Co 9.6).

2. Abraão e o dízimo

Não podemos sonegar o dízimo com o falso argumento de que o dízimo foi uma pratica instituída pela a lei de Moisés. Pois antes mesmo da lei existir, os servos de DEUS tais com Abraão e Jacó dizimavam (Gn 14.20; 28.22). Portanto não se poder sonegar o dízimo com o tal argumento.

O Novo Testamento menciona que Abraão pagou o dízimo de tudo a MELQUISEDEQUE (Hb 7.1,2).
A gora lembre-se que este mesmo Novo Testamento, diz que CRISTO é sumo sacerdote segundo a ordem de MELQUISEDEQUE (Hb 5.10). Isto significa que se a ordem é a mesma, os deveres e privilégios continuam também os mesmos. Resumindo, assim como Abraão dizimava, nos também devemos dizimar. Os filhos de Abraão na fé devem caminhar nos seus passos (Rm 4.12; Hb 7).

O nosso dízimo e ofertas devem ser uma expressão de nossa fé, amor e gratidão.

São com os dízimos e outras contribuições voluntárias do povo de Deus, que pagamos as despesas do templo onde nos reunimos. São com os dízimos e outras contribuições voluntárias que pagamos literaturas para evangelizar, ajudamos as viúvas e os órfãos (Tiago 1.17) e outros necessitados no meio do povo de Deus.

Conclusão

Vimos que de fato o Dízimo é válido para os nossos dias. Sendo assim quem sonega o DÍZIMO É PORQUE É INFIEL.

Quem sonega, na verdade nem ama de fato a DEUS, pois se amasse ajudaria a sustentaria a obra de DEUS.

Se você não dá o dízimo porque sabe que o pastor da sua igreja não usa para o seu devido fim e de modo transparente, então vá para a igreja onde o pastor é um homem de DEUS e usa o dízimo para a obra do SENHOR.

Pessoas que se dizem contra a prática do dízimo e estão congregando em igrejas sustentadas pelos dízimos, tem causado certa confusão na cabeça daqueles que dizimam.
Os obreiros dirigentes devem ficar muito atentos que esses ati-dizimistas!



 
Top