FECHAR

CLIQUE AQUI


A Palavra de Deus diz: "Assim diz o Senhor: Não aprendais o caminho das nações, nem vos espanteis com os sinais dos céus; porque com eles se atemorizam as nações", Jr 10.2.
Os gentios, desde os cultos filósofos da Grécia aos mais incultos povos da Terra, acreditavam, como ainda hoje muitas pessoas acreditam, que os astros tinham poderes para influenciar as vidas e os destinos das pessoas. Os astros eram deuses para eles! Tais crenças se estenderam também a certas "constelações" do "zodíaco", os "signos": Aries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixe.



Baseados nessa antiga crença de idólatras politeístas, os astrólogos fazem e vendem os prognósticos dos horóscopos sobre o destino e o caráter das pessoas que nascem em cada período do ano correspondente ao aparecimento desses "signos", os quais nada mais são do que "entidades imaginárias". Por isso é que as fantasias sobre os deuses e semideuses gregos, romanos  tomaram o nome de mitologia.

MITOLOGIA
O termo mitologia vem de mito, assim como mitomania – tendência mórbida para a mentira. Os gregos, romanos, hindus, caldeus e os demais gentios acreditavam em fábulas como as que transcrevemos abaixo.

Mercúrio: Era o deus mensageiro dos deuses, "E chamavam Júpiter a Barnabé, e Mercúrio, a Paulo, porque este era o que falava", At 14.12. Era também o deus dos mercadores e do comércio. 

Vénus ou Afrodite: A deusa do amor e da beleza, mulher de Vulcano e mãe de Cupido.
Terra: Géia, mãe e esposa do pai-Céu (Urano).

Marte: Era o deus da guerra, filho de Júpiter e Juno.

Júpiter: O soberano dos deuses, da chuva, do raio e do trovão.

Saturno: Era o deus da agricultura e do tempo (Cronos, na Grécia), cultuado com os festins de libertinagem e orgias que foram introduzidos no calendário cristão com o nome de "carnaval'.

Urano: Era o deus dos céus, casado com Géia, pai dos titãs, dos ciclopes e dos hecatonquiros, gigantes de cem mãos e cinquenta cabeças. Os titãs destronaram e mutilaram Urano e, do seu sangue que caiu sobre a terra, surgiram as três Erínias ou Fúrias, divindades infernais: Tisífone, Aleto e Megera, cuja missão era vingar os crimes dos humanos.

Netuno: Era o deus do mar, das fontes e das correntes de água.

Plutão: Era deus dos mortos, marido de Prosérpina, o equivalente latino do deus grego Hades. Plutão, com seus irmãos Júpiter e Netuno, derrotaram seu pai, Saturno.
Você acredita nessa mixórdia e consulta os horóscopos? Lembre-se que irmãos gêmeos e pessoas nascidas no mesmo ano, dia e hora, têm temperamentos e destinos completamente diferentes, como é o caso de Jacó, que nasceu segurando o calcanhar de Esaú (Gn 25.24-26).
Em vez de consultar horóscopos, leia a Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, e creia que “os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra de suas mãos”.


A advertência divina é clara: "Que os seus astrólogos se apresentem lhe ajudem! Eles estudam o céu e ficam olhando para as estrelas a fim de dizerem, todos os meses, o que vai acontecer com você. Pois eles são como palha; o fogo os destruirá, e eles não poderão se salvar. Pois este não é um foguinho daqueles que a gente faz para se esquentar, sentando-se bem perto dele. É isso o que acontecerá com os seus adivinhos, com os quais você tem lidado toda a sua vida. Todos eles irão embora, cada um' seguindo o seu próprio caminho; nenhum deles poderá salvar você", Is 47.13-15 (Bíblia na Linguagem de Hoje).

O QUE DIZER DOS HORÓSCOPOS?
Qual será a relação dos astros com a nossa vida diária? Muitos "cristãos" jamais leram a Bíblia. Até mesmo alguns "crentes" passam dias sem ler a Palavra de Deus, porém não deixam de dar uma olhadinha nas previsões dos astrólogos, no jornal ou na tevê.
A Bíblia condena expressamente todas as tentativas de conhecer o futuro, de procurar a felicidade ou dirigir as nossas vidas aparte daquilo que Deus revelou em sua Palavra. Entre essas tentativas festão os horóscopos. 
 
Em passagens como Deuteronômio 4.15-16,19, 2 Reis 23.5 e Isaías 47. 12, o Senhor condena "aqueles que fazem previsões olhando para o céu". Isso era tão abominável que tais pessoas no Antigo Testamento eram punidas com a morte (Dt 17.2-5).

Na verdade, a consulta aos horóscopos é uma forma de idolatria, assumida  ou velada. Isso porque retira o vínculo da dependência de Deus que cada pessoa deve ter e o dirige para os astros.

Deixa-se de confiar na proteção do Senhor, nas provisões divinas e na direção do Espírito Santo para se confiar em predições feitas com base naquilo que a imaginação humana inventou em cima de figuras mitológicas, sem qualquer valor real, criadas há mais de 2 mil anos.   

Os astros, não pensam não têm vontade própria, nem tampouco podem dirigir ou orientar a vida de ninguém. São corpos que não têm vida!
Davi sabia dessa verdade a mais de 3 mil anos e proclamava: "Louvai-o, sol e lua; louvai-o, todas as estrelas luzentes. Louvai-o, céus dos céus, e as águas que estão sobre os céus; louvem o nome do Senhor, pois mandou, e logo foram criados (...) e lhes deu uma lei que não ultrapassarão", SI 148.3-6.

A Estrela que orienta nossa vida é Jesus, "O Sol da Justiça" (Mq 4.2), a "resplandecente estrela da manhã" (Ap 2.28)!
Fonte: Jornal Mensageiro da Paz, Janeiro de 2005
Artigo: Pr. Edmar Cunha de Barcellos
Acervo: EV. Jair Alves

Reverberação: Subsídios EBD


 
Top