{ FECHAR }

CLIQUE AQUI


Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 3° de 2017
Editora: CPAD
Revista do Professor
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
TEXTO BÍBLICO
Salmos 104.1-35
Destaque
"[...] Agora vamos fazer os seres humanos, que serão como nós, que se parecerão conosco. Eles terão poder sobre os peixes, sobre as aves, sobre os animais domésticos e selvagens e sobre os animais que se arrastam pelo chão" (Gn 1.26).

LEITURA DEVOCIONAL
SEG.......................................................................Gn 1.1
TER.......................................................................Gn 2.15
QUA......................................................................Gn 3.18 QUI......................................................................Rm 8.22
SEX......................................................................Sl 24.1
SÁB......................................................................Ap 21.1
DOM..................................................................2Pe 3.10,12
Objetivos
- Conscientizá-los da degradação ambiental que o planeta vem sofrendo.
- Mostrar o cuidado de Deus com o ambiente já no Antigo Testamento.
- Discutir sobre a questão do lixo no meio ambiente.
Material Didático
Para a aula de hoje, você vai precisar de figuras de jornais e revistas que mostre a devastação ambiental.
QUEBRANDO A ROTINA
Professor, poro a aula de hoje, sugerimos que você mostre as figuras e reportagem que tenha conseguido sobre a devastação ambiental. Depois faça a introdução da lição com a seguinte pergunta: "Porque os crentes não se importam muito com as questões ambientais?" Após debater a questão com os alunos explique que a devastação ambiental que o planeta vem sofrendo é resultado da ganância do homem sem Deus. Conclua, enfatizando que a igreja não pode ficar de fora, se excluir diante das questões ambientais do nosso tempo, pois grande parte das catástrofes ambientais, segundo os especialistas, é resultado do aquecimento global, e os crentes também sofrem com estes danos.
ESTUDNDO A BÍBLIA
P
rofessor, como está sendo a expectativa de seus alunos em relação aos temas abordados neste trimestre? Eles estão motivados e interessados no estudo, na discussão a respeito da vida em sociedade? Nesta penúltima lição, estudaremos a respeito das questões ambientais. Durante muitos séculos, esta era uma questão que parecia não ser muito relevante para os cristãos. Por acreditar que um dia iremos morar numa nova cidade, a Nova Jerusalém, deixamos de cuidar bem do nosso planeta. Não sabemos quando Cristo voltará para arrebatar a sua Igreja; porém, como cristãos, temos um compromisso com o meio ambiente. As tragédias ambientais que temos presenciado na atualidade não são resultados da ação divina, mas da ganância do homem, da destruição da natureza e do descaso de alguns governantes com a vida humana.

A devastação do planeta
Aquecimento global, enchentes, deslizamentos de terra, seca, tsunamis, grandes nevascas, ondas de calor... O aquecimento global é uma realidade. Este fenômeno é causado pela ação do homem e consegue até mesmo mudar as chuvas de lugares. Apesar de tudo, parece que já estamos nos acostumando com as terríveis catástrofes naturais que assolam o nosso planeta. Muitos são os desastres naturais que temos visto neste século. O que tem provocado tantas catástrofes naturais? Seria a ira de Deus diante do pecado do homem ou a falta de cuidado com o nosso planeta? Sabemos que Deus é soberano e tem poder sobre as forças da natureza e que nada acontece sem a sua permissão. Mesmo assim, não podemos negar que o homem vem degradando a natureza e causando sérios desequilíbrios ambientais.

Antes da Queda, Adão vivia em harmonia com a natureza. Ele recebeu de Deus a responsabilidade de cuidar e tratar do seu habitat. A comunhão de Adão com Deus contribuía para que ele também tivesse um relacionamento harmonioso com toda a criação. Depois da Queda, Adão se distanciou de Deus. O pecado não somente afetou Adão e Eva, como também a natureza. O texto de Génesis 3.17,18 mostra o surgimento de espinhos e cardos como símbolos de julgamento e desolação. Segundo Stanley Horton, um importante teólogo pentecostal, "o primeiro pecado da humanidade abrangeu todos os demais pecados; ganância, destruição, falta de amor, etc". Toda a criação foi afetada pelo pecado e, segundo a Palavra de Deus, a natureza até hoje geme pela libertação da infidelidade de Adão (Rm 8.20,22).

Talvez você queira perguntar: "Poluir o meio ambiente é pecado?" Sim, pois a degradação ambiental afeta diretamente o ser humano, obra prima da criação de Deus. A devastação é um pecado contra a terra e o seu Criador. Em geral, é resultado do egoísmo e da ganância do homem. A Bíblia afirma que "o amor ao dinheiro é uma fonte de todos os tipos de males" (1Tm 6.10). O homem quer ganhar dinheiro e extrair o máximo possível dos recursos naturais, mas não quer repor nada. Muitos países têm grandes reservas de recursos minerais como, por exemplo, petróleo e gás. Entretanto, não se pode fazer mau uso destes recursos, pois sabemos que eles são finitos. Os recursos minerais e hídricos devem ser geridos pelo governo e a população com muita sabedoria. Você sabia que apenas 2,5% da água do mundo é doce? Atualmente, muitas espécies de árvores e animais já estão quase extintos. Todavia, é possível se obter lucro e ter uma economia sustentável.
AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, para embasar seus conhecimentos a respeito do tema, leia com atenção e, se desejar, discuta com os alunos o texto de Charles Colson a respeito do assunto da aula de hoje: "Durante anos, os adeptos da Nova Era têm colocado a culpa da crise ecológica no cristianismo. Mas a Bíblia realmente nos transmite um elevado conceito sobre a criação. Quando Deus colocou Adão no jardim do Éden, mandou que cultivasse e conservasse aterra. As palavras da língua hebraica para essas tarefas significam 'servir' e 'cuidar'. O livro de Génesis ensina que os seres humanos têm 'domínio' sobre a natureza, porém isso não significa uma ordem arbitrária, e sim um cuidado especial. Essa é a Palavra de Deus, e somos responsáveis perante Ele pela forma como cuidamos da terra.

É verdade que os ocidentais muitas vezes abusam da natureza. Mas isso não tem origem no cristianismo, e sim no humanismo. À medida que a cultura ocidental rejeitou a Bíblia, deixou de considerar os seres humanos como servos de Deus para vê-los como o pináculo da evolução, como a vitória da luta de Darwin pela existência, a vitória daquele que não deve nada a ninguém.
Pense no século XIX: os capitalistas industriais não apelavam para o cristianismo a fim de justificar suas táticas assassinas. Apelavam para a evolução. Ouça as palavras de William Graham Summer, o mais influente dos socialistas darwinianos na América: Não existem direitos contra a natureza, a não ser extrair dela tudo que pudermos'" (COLSON, Charles. Respostas às dúvidas de seus Adolescentes. 6.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p.141.).

A questão do lixo
No Antigo Testamento, a questão do lixo produzido pelo homem deveria ser vista com muito cuidado. Os israelitas precisavam ter cuidado com a sujeira que eles produziam, já que não havia banheiros naquele tempo (Dt 23.13). Muitas doenças que atualmente assolam algumas regiões do planeta são o resultado da falta de higiene, pois o esgoto e o lixo não recebem nenhum tipo de tratamento. O lixo que é jogado nas ruas vai parar nos mares, mesmo você estando a quilômetros de distância do litoral; depois, atinge os rios e os lençóis freáticos. O lixo também vai parar nas galerias de águas, entupindo os bueiros e causando enchentes. Sendo assim, o lixo deve ser jogado em latões e nunca na rua ou qualquer outro local.

Amigo de Deus e da natureza
Abraão, o amigo de Deus, é exemplo de homem que amava a natureza e zelava por ela. Quando já era um ancião, logo depois do nascimento de seu filho, ele plantou um bosque: "E plantou um bosque em Berseba e invocou lá o nome do Senhor, Deus eterno" (Gn 21.33 - ARC). Certamente, ele não veria aquelas árvores crescerem e frutificarem, mas ele deixaria uma importante herança para os seus descendentes. Se Jesus não voltar logo, como a próxima geração (seus futuros filhos e seus netos) verão o nosso planeta?

Somos cidadãos do céu (Fp 3.20). Nossa pátria é celestial, embora isso nunca será desculpa para não cuidarmos do meio ambiente. Algumas ações, ainda que pareçam pequenas, podem ser tomadas por nós em defesa da vida em nosso planeta, observe: plantar árvores, recolher e reciclar o lixo que você produz, regar as plantas de sua casa, não deixar a torneira aberta enquanto escova os dentes, não jogar papel no chão e evitar ao máximo utilizar materiais plásticos. São atitudes simples que todos podem ter e que fazem a diferença.

Está chegando o dia em que Deus fará uma grande reforma no planeta. A natureza será modificada (2 Pe 3.10,12). O pecado deixará de existir para sempre (Ap 21.27), mas até que isso aconteça, vamos cuidar da obra das mãos de Deus: a Terra!

AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, para a introdução e discussão do tópico III da lição, promova um debate. Discuta com seus alunos as seguintes questões: "No Antigo Testamento, quem era responsável pelos resíduos produzidos?" "Nas grandes cidades, quem deve ser responsável pelo lixo?" "Que problemas o lixo produzido por nós pode trazer para a sociedade?" Leia o texto abaixo para embasar a discussão com seus alunos:
A multiplicação do lixo
Produzido anualmente pela Abrelpe - Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil referente ao ano de 2010 não trouxe boas notícias aos brasileiros: o estudo mostrou que, no ano em que foi criada a PNRS - Política Nacional de Resíduos Sólidos, a produção e destinação final do lixo brasileiro sofreu retrocessos.
Segundo a pesquisa, o volume de RSU - Resíduos Sólidos Urbanos gerado em 2010 pela população foi 6,8% superior ao registrado pelo Panorama em 2009. Foram quase 61 milhões de toneladas de lixo produzidos nos últimos doze meses e o aumento populacional no país não é desculpa para esse crescimento: o estudo mostrou que a geração de resíduos aumentou seis vezes mais do que a população em 2010, o que significa que, no ano, cada brasileiro produziu, sozinho, uma média de 378 kg de lixo.

E as más notícias não param por aí: o Panorama concluiu, ainda, que a quantidade de RSU com destinação inadequada aumentou quase dois milhões de toneladas, com relação a 2009: foram 23 milhões de toneladas encaminhadas a lixões e aterros controlados - que, por não possuírem mecanismos adequados de disposição e armazenamento do lixo, contaminam o solo e a água - contra 21,7 milhões, em 2009" (Texto extraído de http://educacao.uol.com. br/bancoderedacoes/a-questao-do-lixo--nas-sociedades-de-consumo.jhtm. Acesso em 07/07/2014).

Recapitulando
Jesus voltará. A natureza será redimida. O Senhor criará novos céus e nova terra (Ap 21.1) e apagará todos os sinais do pecado. No entanto, isso não é desculpa para não cuidarmos do nosso planeta. O cristão precisa ter responsabilidade ambiental e fazer uso dos recursos naturais com sabedoria.

Refletindo
1. O que você tem feito em relação a devastação das florestas no planeta?
R: Resposta pessoal.
2. Você já tinha observado o cuidado de Deus com o meio ambiente, ainda no Antigo Testamento?
R: Resposta pessoal.
3. Como é tratado a questão do lixo?
R: Resposta pessoal.

Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 3° trimestre de 2017, CPAD – Reverberação: Subsídios EBD


 
Top