Anuncios

 

FECHAR

CLIQUE AQUI

- Lições Bíblicas Juvenis – 4° Trimestre de 2017
-Tema do Trimestre: Igreja, o Corpo de Cristo
- Classe: de 15 a 17 anos – Juvenis
- Editora: CPAD
- Comentarista: Jamiel Lopes
LEITURA BÍBLICA DA SEMANA
Seg. Jo 3.3-8: A verdadeira igreja é composta por quem já nasceu de novo
Ter. 1Jo 2.4-6: A verdadeira igreja reflete as mesmas atitudes de Cristo
Qua. Jo 17.21: A verdadeira igreja vive em unidade
Qui. Jo 13.35;1Jo 4.20: A verdadeira igreja vive em amor
Sex. 1Pe 1.15,15: A verdadeira igreja vive em santidade
Sáb. 1Co 10.31: A verdadeira igreja vive para a glória de Deus
OBJETIVOS
- Refletir sobre a missão da Igreja de semear o Evangelho;
- Abordar o crescimento da igreja, tomando como exemplo a igreja  em Antioquia;
- Conscientizar que fomos chamados para fazer discípulos.

REFLEXÃO
"Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela." (Mt 16.18)
SINTETIZANDO
A Igreja de Cristo é indestrutível. Ela vive sob a proteção de Deus: "...e as portas do inferno não prevalecerão contra ela." (Mt 16,16). Nada, nem ninguém, pode destruir a Igreja de Cristo, As falsas doutrinas, as perseguições, as tradições humanas, o legalismo farisaico cristão, o moralismo, as injustiças, os movimentos pós-modernos que militam por causas antíbiblicas, os falsos pastores, falsos mestres e pregadores, o Diabo e seus demônios, nenhum deles foi e nem será capaz de deter a Igreja ao longo dos séculos. Ela marcha triunfante, determinada e vitoriosa nAquele que a instituiu.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
João 4.35-38
35 Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa.
36 E o que ceifa recebe galardão, e ajunta fruto para a vida eterna; para que, assim o que semeia como o que ceifa, ambos se regozijem.
37 Porque nisto é verdadeiro o ditado, que um é o que semeia, e outro o que ceifa.
38 Eu vos enviei a ceifar onde vós não trabalhastes; outros trabalharam, e vós entrastes no seu trabalho.

INTRODUÇÃO
Nós os crentes não podemos ficar acuados timidamente ou covardemente por trás dos muros e portas dos nossos templos, enquanto o inferno ataca a Igreja. A Igreja de Cristo, no poder e na unção do Espírito Santo é que deve sair para atacar as portas do inferno (poder simbólico das forças espirituais que atuam neste mundo), encurralando-o. A verdadeira Igreja apesar das ameaças, do poderio e da grande resistência do inimigo, avançará e triunfará para o louvor e glória de Deus.

A AULA VAI COMEÇAR!
Olá professor! Chegamos ao final do último trimestre do ano. Esperamos que todo o conteúdo transmitido tenha encontrado lugar fecundo no coração de seus alunos. A fim de recapitularmos os temas estudados até aqui, pergunte-os qual lição eles mais gostaram e por quê. Estimule a troca de experiências e o compartilhamento de testemunhos. A fim de fazer a classe refletir sobre os obstáculos que a Igreja enfrenta ao longo de sua trajetória e mesmo assim permanece crescendo, busque informações em agências ou organizações missionárias. Mostre que mesmo em locais de extrema perseguição (como a Coreia do Norte, Afeganistão, Síria, Iraque e tantos outros), ainda existe a Igreja de Cristo, por milagre, viva e crescente.
 
1. IGREJA: CHAMADA A SEMEAR
A Igreja foi incumbida da missão de evangelizar o mundo (Mt 28.18-20; Mc 16.15-18), levando a preciosa Palavra como semente aos corações. Para nos explicar a nossa missão, Jesus usou a analogia da semente, na parábola do semeador (Mt 13.3-23; Mc 4.13-20).

1.1. A semente é a Palavra de Deus
Os três primeiros Evangelhos destacam a comparação que Jesus faz entre a semente e a Palavra de Deus. Na parábola, Jesus apresenta um semeador que sai a semear a Palavra no campo do coração de cada pessoa.

"A semente é a Palavra de Deus" (Lc 8.11). Cada conversão é uma colheita, o resultado do fruto do Evangelho plantado em um coração (Tg 118). A Palavra tem poder. Ela é como uma semente viva (Hb 4.12). Ela tem o poder de salvar (Tg 1.21); regenerar (1Pe 1.23); libertar (Jo 8.32); produzir fé (Rm 10.17); santificar (Jo 17.17) e nos levar a Deus (Jo 6.44).

O semeador precisa sair a semear. Se a semente ficar retida ou guardada em um celeiro nunca produzirá frutos. Do mesmo modo se ficarmos retidos nos nossos templos como alcançaremos as almas perdidas? Aproximadamente 3,1 bilhões de pessoas nos dias atuais nunca ouviram falar de Jesus Cristo. Por isso, é urgente que saiamos ao campo e semeemos a Palavra de Deus.

A função do semeador é apenas semear. O crescimento vem de Deus: "Eu plantei, Apoio regou; mas Deus deu o crescimento. Pelo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento" (1 Co 3.6,7). O semeador não é a figura principal, mas precisa fazer a sua parte.

Há uma grande urgência em semear a semente da Palavra de Deus. Jesus enfatizou: "Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar" (Jo 9,4). Portanto, despertemos e façamos a obra de Deus enquanto podemos. Longe de Deus, a sementeira das obras humanas só produz espinhos. (Leia Jeremias 12.13).

AÇÃO TÓPICO l
Destaque que há uma grande urgência de se semear a semente da Palavra de Deus. Se possível, leve folhetos, revistas e o que dispuser de material para que os alunos tenham contato com a dura realidade de perseguição que a Igreja em Cristo enfrenta, mesmo nos dias atuais. Mas permanecendo firme no Senhor. Sugerimos a revista "Seara em Foco", da Secretaria Nacional de Missões (SENAMI), ligada à CGADB. Reforce que não existem obstáculos que impeçam sua Igreja de seguir em frente, mas Deus conta conosco, obedecendo ao "ide".
2. O CRESCIMENTO DA IGREJA
Não existe uma fórmula especifica que deva ser utilizada quando se trata do crescimento da Igreja, mas encontramos na Bíblia exemplos que podem ser seguidos: A Igreja em Antioquia foi um exemplo, quando se tratava do crescimento e expansão da obra (At 11.19-30). Ela foi estabelecida por homens Leigos, porém podemos observar vários aspectos que mostram porque esta igreja destacou-se:
• A mão do Senhor (v.21a): Este é o primeiro pré-requisito para o crescimento da Igreja. Nenhum método funciona sem isto. Mas quando Ele remove a sua mão os resultados são desastrosos.
• O empenho dos crentes (v.24): O crescimento da Igreja não é uma obra humana e sim divina (Jo 16.8), mas Deus honra a dedicação de seus servos.
• Oração e Jejum (At 13.1-3): Foi dessa maneira que aquela igreja enviou Barnabé e Paulo para a obra de missões. • Integração e comunhão (v24b): Quando os irmãos se unem, a graça de Deus vai além da Igreja.
• Espontaneidade sacrificai (vv, 29,39): Os crentes se sacrificavam voluntariamente para ajudar aos necessitados.
• Paixão pelas almas (At 13.49): Essa paixão fazia com que houvesse um interesse na difusão da salvação. Esta é possivelmente uma das maiores causas do crescimento da Igreja.
• Experiências pessoais: Todos os líderes que experimentaram o crescimento em suas igrejas tiveram experiências de vida diferentes. Porém, tinham em comum pré-requisitos indispensáveis para isto: paixão pelas almas, vida de oração e incessantes investidas na evangelização.

AÇAO TÓPICO 2
Peça a opinião dos alunos: Uma igreja saudável precisa crescer? Por quê? O que uma igreja precisa fazer para crescer? Mostre o exemplo da igreja em Antioquia e o porquê desta igreja ser um modelo para nós. Enfatize alguns pré-requisitos indispensáveis para que o crescimento aconteça: a paixão pelas almas, a oração e as estratégias utilizadas para a evangelização.

3. SEU CHAMADO
Fomos chamados para fazer discípulos; Isto é, ensinarmos pessoas a guardar os ensinos de Jesus (Mt 28.19,20). Um discípulo é um aprendiz, alguém que crê e obedece o que aprendeu de seu mestre d Jo 2.6; Jo 14.21).

3.1. Oque significa fazer discípulo?
Discipular é transmitir os ensino" de Jesus não apenas com palavras, mas  mostrá-los de forma prática, com sua própria vida. Ensine os mandamentos do Senhor para seu discípulo, formando Cristo na mente e no coração dele, para que haja real mudança de caráter e conduta. Mostre ao novo convertido como exercer o seu chamado, tal como você, obedecendo à "Grande Comissão".

3.2. A importância do discipulador
Alguém que nasce de novo começa de fato uma nova vida, onde tudo é diferente. É como um bebé espiritual, sedento por aprender com um pai na fé a como viver sua nova vida; como mudar de hábitos, abandonar coisas erradas e conhecer novos valores, enquanto cresce e amadurece. E este é o papel essencial do discipulador, até seu pupilo tornar-se o discipulador de outros, Assim, a família de Deus cresce e se fortalece.

AÇÃO TÓPICO 3
Destaque que o discipulador é um modelo, um exemplo para o novo convertido, que o ajuda a entender verdades fundamentais para a sua nova vida em Cristo. Pergunte se alguém na classe teve um discipulador? Alguém que o tenha evangelizado, lhe explicado o plano da salvação, lhe feito o apelo ou apenas lhe ensinado como agradar o nosso Salvador. Enfatize que mesmo os que são nascidos e criados na igreja, também precisam destas etapas e, portanto, de um discipulador. Ainda que sejam seus pais, professores na ciasse infantil etc. Deixe que comentem sobre a importância que tais pessoas tiveram para elas e pergunte se hoje eles também já têm discípulos.

CARO PROFESSOR, conscientize a classe do compromisso de evangelizar. Mostre que não podemos permanecer estáticos dentro de quatro paredes, esperando que os perdidos procurem o Evangelho, mas precisamos agir como o semeador, que saiu a semear. Durante a oração final, tente mencionar alguns temas importantes estudados neste trimestre: a Grande Comissão; a vocação de cada um dentro do Reino; o clamor dos que nunca ouviram falar de Jesus; a importância da comunhão para superar desafios e permanecer firmes até o final.


SUBSÍDIO 1
O destino da peregrinação
O que anima a Igreja, na presente habitação, é o seu destino eterno. Ela não se move no mundo numa peregrinação vã e sem sentido; sem norte. Da mesma forma que a sua vida não é apenas contemplativa, não se envolve numa espécie pura e simples de ativismo, haja vista este realizar-se e esgotar-se na própria ação. O bom ânimo para se dedicar a toda boa obra, tendo como fim a busca do ideal cristão de santificação sobre a Terra, se assenta na firme convicção de habitar para sempre com o Senhor.

[...] O mundo está caminhando para algum lugar, mas apenas o cristão entende de onde veio e qual e seu destino final:

O conflito de Paulo, mencionado em Filipenses 1,20-24, entre o desejo de partir e o de permanecer entre os seus irmãos assim se explica: ainda que ele tenha falado de sua própria experiência, aqui se destaca de forma clara os dois lados da peregrinação da Igreja.

1) De um lado, a sua presença forasteira no mundo produz frutos. Assim sendo, enquanto o propósito de Deus não for plenamente realizado, ela aqui permanecerá pra cumpri-lo até o fim. E de bom ânimo.

2) De outro, estar com Cristo, no porvir, é a sua constante expectativa, pois se constituirá no ápice da trajetória do crente como indivíduo, e da Igreja como instituição fundada por Cristo." (GILBERTO, António.Teologia Sistemática Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003 p. 392)

SUBSÍDIO 2
A rocha sobre a qual Jesus construiria a sua Igreja tem sido identificada como:
(1) O próprio Senhor Jesus Cristo, que efetuou sua obra de salvação, morrendo por nós na cruz;
(2) A confissão de fé de Pedro ["Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo"], que todos os verdadeiros cristãos posteriormente repetiram;
(3) Pedro, considerado por alguns como o primeiro grande líder da Igreja em Jerusalém.

Alguns pensam que 'a rocha' sobre a qual é edificada a Igreja cristã é Pedro, não necessariamente por causa do caráter do discípulo, mas pela função a ele confiada. Contudo, é necessário lembrar que, mais tarde, o próprio Pedro lembrou aos cristãos que eles são a Igreja, edificada sobre o fundamento posto pelos apóstolos e profetas: O Senhor Jesus Cristo, a pedra fundamental (1 Pe 2.4-6).
Todos os cristãos estão reunidos na Igreja por meio da fé em Jesus como Salvador; a mesma fé que Pedro expressou (ver Ef 2.20,21). Jesus elogiou a Pedro por sua confissão de fé, e esta fé é o fundamento do Reino de Cristo (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, p. 1252).

PARA CONCLUIR
Não podemos permanecer estáticos dentro de quatro paredes, enquanto tantos perecem, condenados ao inferno. Precisamos agir como o semeador, que saiu para o campo a semear. Devemos estar certos de que a mão do Senhor está sobre nós para dar o crescimento e fruto. Nada impedirá o crescimento da Igreja, pois as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Resta saber se você quer ser parte disto (Jo 14.12,21). Cumpramos o "ide" do Senhor!

HORA DA REVISÃO

1. Explique que analogias Jesus faz contando a parábola do Semeador.
A semente é a Palavra de Deus e nós somos o semeador.

2. Por que há urgência para semear?
O tempo está abreviado e aproxi­madamente 3,1 bilhões de pessoas nos dias atuais nunca ouviram falar de Jesus Cristo. Por isso, é urgente que saiamos ao campo e semeemos a Palavra de Deus.

3. Por que a igreja de Antioquia é ( um modelo quando se trata do crescimento? Cite os aspectos que mostram o seu destaque.
Porque a mão do Senhor era com ( eles; havia a manifestação da graça de Deus; A igreja orava e jejuava: havia integração e comunhão entre ( os irmãos e ajuda aos necessitados, á

4. O que significa discipular?
Discipular é transmitir os ensinos de Jesus não apenas com palavras,  mas mostrá-los de forma prática,  com a própria vida. É ensinar os mandamentos do Senhor para o * discípulo, formando Cristo na mente  e no coração dele, para que haja real  mudança de caráter e conduta. É também mostrar ao novo convertido como exercer o seu chamado, obedecendo à "Grande Comissão".

5. Qual o papel do discipulador para o novo convertido?
Contribuir para uma mudança de hábitos, abandono das tendências erradas, e na definição de novos valores para a vida do novo convertido, enquanto este cresce e amadurece.


Fonte: Lições Bíblicas Juvenis – 4° Trimestre de 2017 - CPAD/ Fonte: www.sub-ebd.blogspot.com

 
Top