{ FECHAR }

CLIQUE AQUI


Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 4° de 2017
Rev. Do Professor
Editora: CPAD
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
TEXTO BÍBLICO
Gênesis 3.20 – 23; Mateus 6.25-29
Destaque
"Então o SENHOR Deus pôs o homem no jardim do Éden, para cuidar dele e nele fazer plantações" (Gênesis 2.15).
LEITURA DEVOCIONAL
Seg. Gn 1.27-31
Ter. Gn 2.15
Qua. Gn 3.20-23
Qui. Sl 24.1
Sex. Sl 115.16
Sáb. Rm 8.18-22
Dom. Mt 6.26-29
CLIQUE E LEIA TAMBÉM:
Objetivos
Mostrar biblicamente aos alunos que temos responsabilidades com
a Criação;
Conscientizá-los de que quem ama a Deus não pode ficar indiferente à natureza;
Estimulá-los a criarem estratégias para conscientização de outras pessoas.
Material Didático
Revistas, jornais ou matéria na internet sobre agressões a natureza, quanto ao desperdício de recursos naturais, como água, energia elétrica, etc.

Quebrando a Rotina
Faça uma mesa redonda. Disponha as carteiras da sala de aula em círculo e mostre para a turma reportagens e fotos tanto de agressões a natureza quanto de desperdício de recursos naturais, como água, energia elétrica, etc. Converse como a turma, que tipo de ações eles gostariam de fazer para despertar o interesse da igreja, de seus familiares e amigos para a importância da preservação dos recursos naturais. Cartazes, vídeos na internet, peças de teatro? A imaginação vai correr, solta e boas ideias podem surgir.

ESTUDANDO A BÍBLIA
Do nada Ele criou o céu e a Terra. Da Terra, Ele criou o homem. E ao homem, deu a Terra para morar e o Céu para sonhar.
Nenhum artista jamais se comparou a Ele.
Que escultura se comparará ao Monte Fuji ou ao Grand Canyon?
Que música será mais bela do que o canto dos pássaros ou o som das ondas do mar?
Que pintor poderia ter escolhido melhores cores para o pôr-do-sol?
Que cenógrafo faria um cenário mais belo do que a lagoa Rodrigo de Freitas ladeada pelo Pão de Açúcar e o Corcovado?
Como todo artista, Ele quer aplausos reconhecendo o seu talento criador.
Ainda mais porque esta obra prima, a Terra, nos foi dada de presente, uma prova de amor.
Mas Ele amou tanto o seu público, que também a sua criação o adotou como Pai.
Por isso que seu filho legítimo, Jesus, ao nos ensinar a orar, disse: "Pai nosso..."
E hoje, o seu maior desejo é nos receber em sua morada celestial por toda a eternidade.
Mas enquanto este dia não chega, cuidemos de nossa morada terrestre.

A TERRA É A CRIAÇÃO DE DEUS
Pegue sua Bíblia: abre lá em Gênesis. No primeiro capítulo, vemos que Deus criou cada elemento que há na natureza: solo, oceano, plantas, animais e, por fim, o homem. E no final de cada dia, Ele conferia o que fizera e chegava a uma conclusão: "[...] e viu Deus que era bom". Mas quando chegou ao sexto dia, o final da Criação, Deus analisou o conjunto da obra e a conclusão foi ainda melhor: "[...] e eis que era MUITO bom". Deus estava realmente muito satisfeito com o universo que havia criado e, em particular, com a Terra, em todo o seu esplendor de vida. Deus fez tudo em equilíbrio: dias, estações, ventos, marés, o ciclo da vida das plantas e animais, enfim, tudo perfeito, para a sua glória.
 
Por fim, no capítulo 2 versículo 15, ao relatar a criação do homem, a Bíblia nos diz que Deus deu ao primeiro ser humano (e, por consequência a nós, sua descendência) a responsabilidade de cuidar do Jardim do Éden. Ou seja, um trabalho não de exploração, mas de administração do património que seria sua habitação, proteção e fonte de alimento. Como você sabe, apareceu a Serpente, o fruto proibido, a tentação, e aí deu tudo errado.

Na prática, o que Deus fez não é muito diferente do caso de pessoas que alugam uma casa ou apartamento e assumem a responsabilidade de manter aquele imóvel em bom estado de conservação. A Bíblia nos diz que "Os céus pertencem somente ao SENHOR, mas a terra ele deu aos seres humanos" (SI 115.16). Entenda que este ato de dar não é de doação, mas de empréstimo, pois toda a Criação pertence a Deus, quer conferir? "Ao SENHOR Deus pertencem o mundo e tudo o que nele existe; a terra e todos os seres vivos que nela vivem são dele" (SI 24.1).

Explicando melhor: nós, seres humanos, não somos donos do mundo, mas sim seus mordomos. Não estamos aqui para sugar os recursos naturais da Terra até se esgotarem, mas para os utilizarmos de uma forma produtiva, inteligente e renovável.
Bom, essa era a ideia...

AUXILIO BIBLIOLOGICO
A Bíblia ensina que toda a humanidade tem natureza e origem comum.
Fomos criados como seres inteligentes e reconhecidos como a cabeça de todas as coisas vivas. A humanidade, como tal, deve governar a terra e usar os recursos disponíveis na natureza de forma responsável.

Graças à posição ocupada pela humanidade na criação, Deus nos criou como seres físicos, completamente envolvidos em seu mundo. A humanidade, no entanto, não é meramente física. Também temos uma dimensão espiritual - podemos ter plena consciência de Deus e de tudo o que Ele exige. Essas duas dimensões, física e espiritual, tornam-nos um ser íntegro" (RICHARDS, LAWRENCE O., Guia do Leitor da Bíblia: CPAD, 2005, p.458).

A Criação sofre pela ação má do ser humano (Hm 8.18-22)
Desenvolvendo um pouco mais o assunto, vamos chegar a algumas conclusões interessantes.

1. Somos filhos de Deus por meio do sacrifício de Cristo na cruz.
2. Se somos filhos de Deus e o amamos, deveríamos nos interessar pela Criação de Deus.
3. Deveríamos também nos indignar pela forma como os homens têm tratado a Criação.
4. Se não nos importamos com a destruição da natureza, então, há alguma coisa errada com nosso amor a Deus.

Peraí!
Você não acha que está exagerando um pouco ?
Será mesmo? Imagine que seu pai, depois de gastar um dia inteiro pintando o muro de sua casa, no dia seguinte o encontra todo pichado. Como você se sentiria vendo o seu pai triste ao ver a casa onde moram, maculada com esta violência visual que é uma pichação?
E mais ou menos assim que deveríamos nos sentir ao ver parte do trabalho de Deus sendo depredado. A falta de interesse neste assunto pode ser um indício de que nosso relacionamento com Deus não está tão íntimo quanto poderia (e deveria) estar.

O ser humano tem consumido de forma predatória todos os recursos naturais da terra: árvores, água, animais, levando ao esgotamento do solo, extinção de espécies e poluição do meio ambiente. Sempre foi assim, mas com a revolução industrial no final do séc. XIX, esta exploração se acentuou muito. Fábricas e veículos movidos a combustíveis fósseis (gasolina e diesel) poluem o ar, dejetos industriais e esgotos não tratados poluem os rios, pesca predatória tem colocado em risco de extinção peixes e baleias.

A derrubada de florestas para a indústria madeireira e agropecuária tem destruído o habitat natural de diversos animais. Araras Azuis, micos leões-dourados, baleias, peixes-boi e até o pau-brasil, árvore que deu nome ao nosso país continuam em risco de extinção. As cores da natureza de Deus têm sido substituídas pelo cinza do concreto do homem (Rm 8.18-22).

AUXÍLIO BIBLIOLÓGICO
"Gênesis 1 também afirma que a humanidade foi criada para 'sujeitar' a terra e 'dominar' sobre ela e as criaturas vivas do mar, da terra e do ar. Alguns estudiosos, à luz das palavras de 1.26, sugerem que é exatamente o domínio exercido sobre a humanidade que constitui a imagem de Deus (embora essa relação aponte mais uma consequência que uma definição).

Mas o que significa sujeitar e dominar? O último verbo, utilizado 24 vezes no Antigo Testamento, geralmente se refere a relacionamentos humanos: um amo e seu escravo (Lv 25.43); os chefes e os trabalhadores (1Rs 5.16); um rei e seus súditos (SI 72.8); o soberano de um país e uma outra nação (Lv 26.17). Diversas dessas passagens (por exemplo, Lv 25.43 e Ez 34.4) sugerem que esse domínio deve ser exercido com cuidado e e responsabilidade. Não é permitido nada destrutivo e explorador. Presumivelmente, temos a mesma nuança presente em Génesis 1.28" (HAMILTON, Victor P. Manual do Penta-teuco: CPAD, 2006, p.27).

"Adão/ser humano. 'Adão' é uma palavra hebraica, o nome do primeiro homem, mas também é o termo bíblico para a humanidade. O homem sozinho foi
(1) direta e pessoalmente formado pelo Senhor, que lhe deu o fôlego de vida (2.7);
(2) criado à imagem e semelhança de Deus (1.26,27);
(3) dado a ele o direito de governar a criação como representante de Deus (2.16,17); e
(5) dado uma natureza que requer intimidade, relacionamento com Deus e as pessoas. Desse modo, elas têm infinito mérito e valor" (RICHARDS, LAWRÊNCE O. Guia do Leitor da Bíblia: CPAD, 2005, p.26).

Nós devemos cuidar da Terra
O mais irónico disto é que o primeiro ecologista do mundo foi um servo de Deus chamado Noé, lembra? Deus enviou um Dilúvio para castigar a humanidade pelos seus pecados, mas decidiu salvar das águas não apenas uma família de seres humanos, mas toda a criação animal (só não mandou para arca os peixes, por motivos óbvios). Ou seja, Deus se importa sim, com a natureza que Ele mesmo criou. Estranho seria se não se importasse. Noé e sua arca deveriam ser os símbolos mundiais da consciência ecológica, mas não são porque nós, a igreja, não damos a devida atenção a este assunto e a parte ecológica da história de Noé caiu no esquecimento, justamente na época em que o mundo se preocupa de verdade com a preservação do meio ambiente.

O resultado disso é que, para a opinião pública, os esotéricos é que têm uma visão socialmente responsável quanto ao meio ambiente e os crentes são vistos como uma panelinha fechada e fanática que só pensam em si próprios. Sabemos que isso não é verdade, mas não temos nos esforçado para desfazer esta visão distorcida a nosso respeito.

*TáCerto. Você até tem razão, mas a função da igreja é pregar o Evangelho.
Você está certo! Nossa missão primária é pregar o Evangelho, o Ano Aceitável do Senhor. Mas tem uma coisa. E depois? E, depois. Pregamos a Palavra de Deus, a pessoa se converte e aí, acabou a nossa missão? Claro que não, aí se inicia o discipulado. A salvação não é um fim em si mesmo, mas o início de uma longa e constante caminhada na busca diária de se aperfeiçoar "até chegar a estatura de varão perfeito" (Ef 4.13). O Evangelho de Jesus não é uma simples religião, mas uma ótica particular de ver e entendera mundo. A ótica de Deus! Se Jesus mudou meu viver, então Ele mudou também meu modo de pensar e ver o mundo à minha volta. E, com certeza, em algum momento, seremos cobrados quanto à nossa opinião sobre os mais variados temas. Qual aposição da Palavra de Deus a respeito da violência? E da miséria? E da corrupção? E da preservação da natureza?

AUXÍLIO APOLOGÉTICO
"Assim, os princípios bíblicos que podemos estabelecer são que, depois do Dilúvio, Deus quis a reconstrução ecológica do mundo, incluindo suas espécies vulneráveis de animais, e estes se espalharam a partir de uma região montanhosa chamada Ararate" (HAM, Ken. Criacionismo, verdade ou mito? CPAD, 2011, p.151).

Conclusão
Por tudo o que vimos não podemos renegar nossa responsabilidade, como embaixadores do Reino de Deus na terra, de denunciarmos o pecado cometido a Criação. Devemos buscar formas criativas e inteligentes de conscientizar as pessoas-inclusive em nossas próprias igrejas - da importância de se preservar a natureza.
RECAPITULANDO
No primeiro capítulo de Génesis, vemos que Deus criou cada elemento que há na natureza: solo, oceano, plantas, animais e, por fim, o homem.

Deus deu ao primeiro ser humano (e, por consequência a nós, sua descendência) a responsabilidade de cuidar do Jardim do Éden. Ou seja, um trabalho, não de exploração, mas de administração do património que seria sua habitação, proteção e fonte de alimento.

O ser humano tem consumido de forma predatória todos os recursos naturais da terra: árvores, água, animais, levando ao esgotamento do solo, extinção de espécies e poluição do meio ambiente.

Deus enviou um Dilúvio para castigar a humanidade pelos seus pecados, mas decidiu salvar das águas não apenas uma família de seres humanos, mas toda a criação animal. Ou seja, Deus se importa sim, com a natureza que Ele mesmo criou.

O Evangelho de Jesus não é uma simples religião, mas uma ótica particular de ver e entender o mundo. A ótica de Deus! Se Jesus mudou meu viver, então Ele mudou também meu modo de pensar e ver o mundo à minha volta, inclusive sobre a questão ambiental.

Não podemos renegar nossa responsabilidade como embaixadores do Reino de Deus na terra, de denunciarmos o pecado cometido na Criação.

Refletindo
1. Após essa lição, o que mudou sobre o seu pensamento em relação ao Meio Ambiente?
Reposta pessoal.

2. Você é capaz de fundamentar biblicamente a nossa responsabilidade com o Meio Ambiente?

Espera-se que o aluno cite o Gênesis, compreendendo perfeitamente a questão da expressão "dominar" a terra e a referência de Noé.

3. Que tal reunir os colegas para pensar numa ação ambiental? Ação livre.

Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 4° trimestre de 2017, CPAD – Reverberação: Subsídios EBD


 
Top