FECHAR <----

CLIQUE AQUI
 

Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 4° de 2017
Rev. Do Professor
Editora: CPAD
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
TEXTO BÍBLICO
Gênesis 1.26,27; Marcos 12.31
Destaque
"E o segundo mais importante é este: 'Ame os outros como você ama a você mesmo.' Não existe outro mandamento mais importante do que esses dois" (Marcos 12.31).
LEITURA DEVOCIONAL
Seg. Gn 1.26,27
Ter. Dt 6.5
Qua. Lv 19.18
Qui. Mc 12.31
Sex. Jo 13.34,35
Sáb. 1Jo 4.20
Dom. Mt 25.31-46
CLIQUE E LEIA TAMBÉM:
Objetivos
Fazer os alunos compreenderem o que é o amor;
Conscientizá-los de que amar ao próximo não é uma opção, mas um mandamento;
Refletir sobre de que forma podem demonstrar seu amor pelo próximo.
MATERIAL DIDÁTICO
Papel e lápis para os alunos.



Quebrando a Rotina
Distribua folhas de papel para a turma e peça para escrever nelas a reposta a uma única pergunta: "eu me sinto amado quando?" Deixe claro que você não se refere a amor romântico, como o de namorados. Recolha as folhas e vá até o quadro negro é escreva: Quem ama... E, embaixo, escrevas as respostas dos alunos. Não precisa escrever as respostas repetidas.

No final, peça para a turma ler em voz alta o que está escrito no quadro. E explique que se tudo aquilo que escreveram é como eles gostariam de ser tratados por quem os ama, então que façam o mesmo pelas outras pessoas, pois foi isto que Jesus Cristo nos ensinou: afazer pelo nosso próximo aquilo que gostaríamos que fizessem por nós.

ESTUDANDO A BÍBLIA
Prezado professor, esta é uma lição muito especial, talvez a mais importante deste trimestre. Nela estudaremos a essência da mensagem da Bíblia que é a prática do amor. Nossos alunos são adolescentes, ainda não alcançaram a maturidade emocional nem viveram muitas experiências para poderem compreender plenamente o que significa amar. Geralmente, um bom ponto de partida para falar do amor são os laços familiares. Procure conhecer sua turma. Pode ser que alguns não se sintam à vontade, pois provém de famílias problemáticas ou pouco afetuosas. Procure deixar claro que nenhuma família é perfeita, mas isso não é um problema, pois amamos as pessoas como elas são, com suas qualidades e defeitos. Mas agora, todos fazemos parte de uma família maior que é a igreja, a família de Deus, ligada, não por laços de parentesco, mas pelo ato de amor de Jesus que se entregou portados nós na cruz do Calvário.

Amor é uma daquelas coisas da vida que todo mundo sabe mais ou menos o que é, mas não sabe explicar direito. Muita gente confunde amor com romantismo, com paixão, mas amor é mais profundo. É diferente de estar a fim de uma pessoa porque a achamos bonitinha. Veja os pais que vão ganhar um bebé, por exemplo. Ele ainda nem nasceu, seus pais não sabem como ele será, muita vezes não sabem nem o sexo, mas já o amam. A mãe acaricia a barriga onde ele cresce e lhe diz palavras doces. Ela o ama sem que ele tenha feito nada para merecer este amor. Ela o ama simplesmente porque ele existe, mesmo deixando-a barriguda, com os pés inchados e com dores nas costas. Amor é uma escolha. Dentro de cada coração há um trono. Geralmente quem está sentado lá é o nosso ego, o nosso eu. Somos pessoas egoístas. Mas quando decidimos amar alguém, retiramos o "nosso eu" do trono e permitimos a pessoa amada entrar em nosso coração.

Quando isto acontece, queremos o bem desta pessoa, a sua felicidade, o seu bem-estar. Nos preocupamos com ela, sofremos por ela. Isto é amor. E é isto que Deus nos mandou fazer: amar o ser humano.

O Ser Humano é a Imagem e a Semelhança de Deus
Quando lemos a história da Criação, uma coisa nos chama a atenção: Deus criou o universo inteiro: estrelas, planetas, oceanos, árvores, animais gigantes como as baleias e minúsculos como a formiga, mas somente o ser humano foi criado à sua imagem e semelhança (Gn 1.26).

*Dúvida! O que a Bíblia quer dizer com "imagem e semelhança"? Deus tem corpo?

Eita que pergunta complicada! Bom, Deus não tem corpo; a Bíblia diz que Ele é Espírito (Jo 4.24). Portanto, esta imagem e semelhança não é algo físico. Na verdade, há diversas explicações para o que a Bíblia quis dizer. Vamos ficar com as semelhanças listadas por Eurico Bergstén em seu livro Teologia Sistemática (CPAD), ok?

1) Deus pôs a eternidade no coração do homem - Gn 2.7 e Ec 3.1;
2) Deus criou o homem com alma e espírito - Jo 4.24;
3) Deus é trino (Pai, Filho e Espírito Santo) e fez o homem tríplice (Corpo, alma e espírito)- 1Ts 5.23;
4) Deus é perfeito e fez o homem perfeito - Ec7.29;
5) O homem é um ser moral - Rm 2.15;
6) Deus criou o homem inteligente - Gn 2.19;
7) Deus criou o homem com livre-arbítrio - Dt 30.19;
8)O homem tem poder de domínio – Gn 1.58.
Tudo isto ajuda a explicar porque o homem é diferente do restante da Criação, construindo monumentos como a Torre Eiffel, compondo sinfonias como a 9a de Beethoven ou projetando naves espaciais que o levou até a Lua. Também explica porque o homem é o único ser da Criação que sabe que existe um Criador e uma vida eterna além da vida física.
Resumindo: o ser humano é único e o topo de toda a Criação, mas isso não é nenhuma vantagem nossa: foi Deus, em seu infinito amor, que nos fez assim.
 
AUXÍLIO BIBLIOLOGICO
Os homens são todos membros de uma só raça, a raça humana. Os homens, como criaturas, divididas ao menos em duas partes, jamais serão inteiramente completos sem algum "Tabernáculo" físico para abrigar a alma. Assim, a ressurreição torna-se um fato muito importante para o homem (2 Co 5.1). Sendo uma combinação de corpo e alma, o homem está sujeito a problemas que surgem do pecado. A alma está sujeita aos chamados problemas psicossomáticos (onde os problemas da mente causam enfermidades no corpo), e problemas somático-psíquicos (onde uma doença do corpo torna-se tamanha obsessão para a mente que se torna a causa de uma doença mental). Como ao homem foi designado ter um corpo, ele deve, exceto no caso da criação de Adão e Eva, vir a existir por geração física e ser um membro da raça humana.

No que diz respeito à sua alma ou ao seu espírito, o homem foi feito por Deus de acordo com a sua imagem, à sua semelhança (Gn 1.26-28). De que consiste essa imagem?

O homem, como Deus, é uma pessoa; ambos, ele e Deus, têm as características da personalidade: intelecto, vontade, emoção, autoconsciência e uma natureza moral. Os animais, ao contrário, embora possam mostrar alguma quantidade das três primeiras, não têm autoconsciência nem natureza moral. O homem desfruta, em um grau finito, dos atributos comunicáveis de Deus: sabedoria, poder, santidade, bondade, amor, justiça e verdade. Mas ele é inteiramente distinguível de Deus, por não possuir o infinito, a eternidade e a imutabilidade de Deus, nem a sua onisciência, onipotênica e onipresença (Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.148).

Devemos amar o ser humano porque ele é a imagem de Deus
Bom, já vimos que Deus criou o ser humano com características especiais que o diferenciam do restante da Criação. Somos seres dotados de espírito, com uma alma imortal, somos seres morais, mas, além disso tudo, há outra característica muito importante: nós somos capazes de amar.

TôSabendo. Mas isto não é tão especial assim. Os animais também se gostam, vivem juntos, alguns para vida toda...

Mas eu não estou falando de instinto. Amar é mais profundo que isso. Como eu já expliquei, amare uma escolha e esta escolha não fica restrita a pessoas. Tem gente que ama o seu país, outros amam uma ideologia e há muitos também que amam um time de futebol mais do que qualquer outra coisa. E muito comum este tipo de amor acabar se transformando em idolatria, o que é um pecado muito grave. Mas, além disso, a maioria das pessoas não ama a quem Deus mandou que amássemos.

Dúvida. Quem? Meus pais?

Amar nossos pais é tão óbvio que Deus nem precisou mandar, já faz parte do "pacote". Aos nossos pais Ele mandou que honrássemos, lembra? Mas isso é assunto para outra aula. Deus mandou que amássemos ao nosso próximo, ou seja, toda pessoa à nossa volta, seja ela quem fosse (Mc 12.31).

A Bíblia nos ensina que "Deus amou o mundo" (Jo 3.16). Por "mundo" entenda não o planeta, mas as pessoas. Deus se importa conosco, pois Ele nos criou de uma forma especial, à sua imagem e semelhança. Se o Espírito Santo está em nós, devemos nos importar com o nosso próximo da mesma forma como Deus se importa conosco, afinal, Deus é amor (1Jo 4.8).

Resumindo: ame as pessoas à sua volta. Preste atenção nelas. Você vai perceber pessoas que precisam de sua mão estendida, de seu ombro amigo, de uma palavra de orientação ou simplesmente de suas orações. Mas ame indistintamente, sem preferências ou escolhas. Amar quem gosta da gente é fácil, mas não é esse o espírito da coisa: "Se vocês amam somente aqueles que os amam, por que esperam que Deus lhes dê alguma recompensa? Até os cobradores de impostos amam as pessoas que os amam! Se vocês falam somente com os seus amigos, o que é que estão fazendo de mais? Até os pagãos fazem isso!" (Mt 5.46,47).

AUXÍLIO TEOLÓGICO
Na época de Jesus, os judeus haviam acumulado centenas de leis, 613, de acordo com um historiador. Alguns líderes religiosos tentavam estabelecer uma diferença entre as leis mais importantes e as menos importantes, enquanto outros ensinavam que todas eram igualmente obrigatórias e que era perigoso fazer qualquer distinção. Essa questão apresentada pelo escriba poderia ter provocado alguma controvérsia entre esses dois grupos, mas a reposta de Jesus resumiu todas as leis de Deus.

As leis de Deus não são difíceis de serem cumpridas; podem ser resumidas em dois princípios muito simples: amar a Deus e ao próximo. Estes mandamentos estão no AT (Dt 6.5; Lv 19.18). Quando você ama a Deus completamente e cuida do próximo como de si mesmo, está cumprindo os Dez Mandamentos e outras leis do AT. De acordo com Jesus, esses dois mandamentos resumem todas as leis de Deus. Deixe que elas governem seus pensamentos, suas decisões e ações. Quando não tiver certeza do que deve fazer, pergunte a si mesmo o que demonstrará melhor seu amor por Deus e pelo próximo (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2008, p.1320).

Amando o outro ser humano como a nós mesmos
Jesus disse que o segundo mandamento era semelhante ao primeiro "ame ao seu próximo como a ti mesmo". Jesus não estava inventando aquele mandamento na hora. Ele já estava escrito na Lei. Você sabe onde? Dá uma olhada lá em Levítico, no capítulo 19 e no versículo 18. Achou? Agora, dá uma olhadinha nos versículos anteriores, por exemplo, do 10 ao 18. Leu?

Choque! Mas quantas proibições! Não isso, não aquilo...
Pois é, para quem olha de forma desatenta, Deus até parece um ser que só sabe proibir. Mas preste mais atenção o quê Ele está proibindo: zombaria, fofoca, injustiças... Jesus resumiu todos esses "nãos" de forma maravilhosa quando confirmou o que já estava escrito na Lei, que deveríamos amar a Deus de todo o nosso coração e o próximo como a nós mesmos. Quando guardamos estes dois mandamentos de Jesus, guardamos toda a Lei, mas não mais como uma coleção de regras a serem decoradas, mas naturalmente, pois quem ama não faz o mal, apenas o bem.

Quem ama cuida, se importa, ajuda, alerta, mesmo que ninguém tenha pedido. Lembra da história do Bom Samaritano (Lc 10.30-37)?

E isto o que jesus espera de sua Igreja: que ela viva na prática do amor ao próximo. Mais ainda, é por meio da prática do amor que Jesus vai diferenciar quem é cristão de verdade de quem é apenas frequentador de igreja. Veja lá em Mateus 25.31-46. Leu? Entendeu? 

Mas tem outro detalhe importante. A Lei dizia: Amarás o teu próximo como a ti mesmo, certo? E uma boa regra, afinal, como todo mundo gosta de si mesmo, se tratar da mesma forma o seu próximo não vai fazer mal a ninguém. Só que Jesus outorgou uma nova lei: "Eu lhes dou este novo mandamento: amem uns aos outros. Assim como eu os amei, amem também uns aos outros" (Jo 13.34).

Eita, que agora complicou tudo.
Dúvida. Complicou o quê?

Não percebeu, não? Antes o padrão era o nosso amor por nós mesmos. Agora o nível está mais elevado: o padrão agora é o amor de Jesus por nós! Um amor tão intenso, tão puro, tão perfeito, que Ele deu a sua vida por nós. É esse amor que Jesus quer que tenhamos uns pelos outros. Um amor que não é só de palavras, mas de atitudes. Algo bem mais difícil do que escrever "l love You" em uma carta...

Mais ainda: a única forma que você tem de demonstrar seu amor a Deus é amando o seu próximo, sabia? "Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê" (l Jo 4.20 - ARA).


AUXILIO BIBLIOLOGICO
"Esse amor, que deve ser diferenciado da afeição erótica e romântica, é a contra parte lógica do amor Divino em relação ao homem (1Jo 4.11), e sem ele a reivindicação de amar a Deus é vista como inconsistente (1Jo 4.20,21). Ele também é visto como efeito do Espírito Santo derramado em nossos corações (Rm 5.5; Gl 5.22). Ele é uma imitação consciente do amor de Deus, até mesmo por aqueles que fazem o mal (Mt 5.43-45; Jo 13.34; 15.12; Rm 15.7). O dever do cristão de retribuirá mal com o bem ao invés de retaliar (Rm 12.17-21) deve provavelmente ser considerado uma cooperação com o plano de Deus para levara homem ao arrependimento (Rm 2.4; 12.20,21). Este conceito de amor (ágape) criativo é tão central que pode ser considerado uma ética cristã distinta.

A maior definição de amor (ágape) nos relacionamentos humanos já descrita é a do apóstolo Paulo no hino de 1Coríntios 13. Resumindo, o amor é a comunhão entre pessoas, baseado em atos de autos sacrifício. Tal amor é a bondade voluntária e deliberada, estendendo-se até mesmo aos inimigos por quem não se tem qualquer afeto pessoal (Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.94).

Conclusão
Deu para perceber que para Deus esse assunto é sério, né? Quer demonstrar seu amor a Deus? Não será indo aos ensaios do coral ou do grupo de louvor. Tampouco indo a todos os cultos ou chegando cedo na Escola Dominical. Nem mesmo dando tudo o que você tem para ajudar os necessitados. Se em tudo isso não houver amor, não terá sido de nenhum valor para Deus. O mandamento continua sendo o mesmo: Ame. Ame a Deus, ame o seu próximo. Deixe Deus usar você. Amem-se uns aos outros como Cristo nos amou e revolucionem o mundo!

Recapitulando
Muita gente confunde amor com romantismo, com paixão, mas amoré mais profundo. Amor é uma escolha. £ é isto que Deus nos mandou fazer: amaro ser humano.

Deus criou o universo inteiro: estrelas, planetas, oceanos, árvores, animais gigantes como as baleias e minúsculos como a formiga, mas somente o ser humano foi criado à sua imagem e semelhança (Gn 1.26). O ser humano é único e o topo de toda a Criação, mas isso não é nenhuma vantagem nossa: foi Deus, em seu infinito amor, que nos fez assim.
Deus mandou que amássemos ao nosso próximo, ou seja, toda pessoa à nossa volta, seja ela quem fosse (Mc 12.31).

A Bíblia nos ensina que "Deus amou o mundo" (Jo 3.16). Ele se importa conosco, pois Ele nos criou de uma forma especial, à sua imagem e semelhança.

Ame as pessoas à sua volta. Preste atenção nelas. Você vai perceber pessoas que precisam de sua mão estendida, de seu ombro amigo, de uma palavra de orientação ou simplesmente de suas orações. Mas ame indistintamente, sem preferências ou escolhas.

Jesus confirmou o que já estava escrito na Lei, que deveríamos amar a Deus de todo o nosso coração e o próximo como a nós mesmos. Quem ama não faz o mal, apenas o bem.
Quem ama cuida, se importa, ajuda, alerta, mesmo que ninguém tenha pedido. Mais ainda: a única forma que você tem de demonstrar seu amor a Deus é amando o seu próximo.

Refletindo
1. Após estudar a lição, o que é o amor para você?
Reposta pessoal.
2. Você deseja amar como Jesus amou?
Reposta pessoal.
3. Qual foi o último ato de amor que você fez?
Reposta pessoal.


Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 4° trimestre de 2017, CPAD – Reverberação: Subsídios EBD

 
Top