{ FECHAR }

CLIQUE AQUI


Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 4° de 2017
Rev. Do Professor
Editora: CPAD
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
TEXTO BÍBLICO
Levítico 19.32; 1Timóteo 5.1,2
Destaque
"Fiquem de pé na presença das pessoas idosas e as tratem com todo o respeito; e honrem a mim, o Deus de vocês. Eu sou o SENHOR" (Levítico 19.32).
LEITURA DEVOCIONAL
Seg. Lv 19.32
Ter. 1Tm 5.1,2
Qua. 1Sm 3.11-18
Qui. Dt 32.7
Sex. Êx 3.18
Sáb. Jó 12.12
Dom. 1Pe 5.5
CLIQUE E LEIA TAMBÉM:

Objetivos
- Esclarecer importância dos idosos nas sociedades antigas e atuais;
- Conscientizá-los de que respeitar os idosos é bíblico;
- Estimulá-los a se relacionarem mais com os seus avós.
Material Didático
Quadro de giz ou lousa e piloto
 
Quebrando a Rotina
Escreva na lousa diversos eventos históricos com suas respectivas, datas em que ocorreram ao lado. Por exemplo, fundação de Brasília (1960), o- Regime Militar iniciado em 1964 é a chegada do homem à lua (1969). Um avô mais novo, nascido em 1957, pode ter acompanhado a seleção brasileira ser tricampeã na Copa do Mundo (1970), o movimento das Diretas já (1983), a Queda do Muro de Berlim (1989), a morte de Ayrtqn Senna (1994) etc. Pergunte aos alunos qual a idade de seus avós. Pela idade, saberemos quando eles nasceram e, assim, podemos deduzir que eventos importantes eles puderam acompanhar ou mesmo participar. Por exemplo, um avô nascido em 1947 pode ter acompanhado a fundação de Brasília, pois tinha 13 anos na época. Mostre aos seus alunos que seus avós são uma rica fonte de informação sobre vários assuntos dentro de suas próprias casas.

ESTUDANDO A BÍBLIA
Esta lição é especialmente desafiadora. Os adolescentes de hoje estão imersos em uma cultura que os supervaloriza na mesma medida em que despreza as pessoas idosas. Isto ocorre porque em nossa sociedade capitalista, descobriu-se que a fase da adolescência pode ser muito lucrativa, pois a imaturidade emocional dos adolescentes, somada à necessidade que tem de se autoafirmar, os tornam consumidores vorazes. Roupas, músicas, jogos, revistas, filmes, tecnologia, enfim, uma infinidade de produtos feitos sob medida para essa geração. Enquanto isso, pessoas mais velhas como os pais, os avós e os pastores tentam conter seu consumismo e rebeldia, mas ao fazê-lo são vistos como "antiquados" e "repressores". Além disso, muitos deles já estão cansados de ouvirem em suas casas que "devem respeitar os mais velhos". Nossa missão hoje é provar biblicamente que essa é a vontade de Deus e que eles só têm a ganhar se o fizerem.

Durante boa parte da história vivemos em sociedades patriarcais, onde o homem era o chefe da família e cabia a ele tomar todas as decisões, até mesmo com quem seus filhos e netos iriam se casar. Nestas famílias, o indivíduo mais velho era o que tinha mais autoridade. Nas famílias ricas, todos moravam juntos o que aumentava ainda mais a autoridade e o respeito pela figura do avô. Ele não tinha mais força física nem agilidade, mas tinha muita experiência e autoridade moral. Afinal, em uma época onde se morria cedo, ele não apenas continuava vivo e lúcido como manteve unida e próspera a sua família.

Mas os tempos mudaram, e a sociedade patriarcal foi substituída pela sociedade do consumo: uma explosão de produtos, tecnologias e costumes diferentes tornaram a figura do patriarca obsoleta. As pessoas moram em casas menores, mais distantes umas das outras, estudam mais, se informam mais e, de uma hora para outra, os avôs e avós não eram mais consultados para nada. Mas qual o papel que Deus reservou para eles?
 
Quem são os Idosos
O nosso corpo está em constante transformação. Quando crianças, éramos mais fofinhos e cabeçudos e só queríamos saber de correr e brincar. Quando entramos na adolescência o nosso corpo dá uma espichada, nossos músculos se desenvolvem mais e até a nossa voz muda. Nesta fase começamos a nos interessar em praticar esportes, em gastar energia em atividades físicas e estudamos matérias mais complexas na escola. Quando entramos na fase adulta, nosso corpo chega ao ápice da forma física: estamos prontos para trabalhar e para o casamento. Legal. O problema é que depois disso, vem a descida do morro: nosso corpo começa a perder vigor, força e agilidade: estamos envelhecendo.
Mas o que a gente perde em vigor, ganha em experiência.

Peraí. Não me parece uma boa troca.
Eu sei, para muita gente também não parece. Mas com a experiência, a gente adquire sabedoria. Aprendemos com a vida a avaliar melhor as pessoas, a nos prepararmos melhor para diferentes situações que acontecem e assim, deixamos de ser meros executores para nos tornarmos mestres. Grandes nomes da história como Albert Einstein (física) e Oscar Niemeyer (arquitetura) fizeram grandes coisas na terceira idade. Veja o exemplo de Moisés: só foi convocado por Deus para libertar seu povo do Egito quando já tinha 80 anos de idade!

Além disso, com o avanço da medicina e da economia em nosso país, as pessoas estão vivendo mais e melhor. Em muitas cidades vemos pessoas idosas praticando ginástica nas praças, participando de redes sociais na internet e viajando em excursões. Muitos até estão voltando ao mercado de trabalho porque possuem algo que as empresas não encontram nas novas gerações: experiência (óbvio) e educação.
Se você pensa que ser idoso é ser chato e improdutivo, quem está pen- sando de forma velha é você. Está na hora de dar um upgrade em seus conceitos!

AUXÍLIO BIBLIOLOGICO
ANCIÃO.
Refere-se aos sábios de Israel que eram a fonte e os comunicadores das palavras de sabedoria tradicionais. No Antigo Testamento hebraico, zaqen, lit., 'aquele que tem barba', era um termo utilizado para designar um homem de certo grau e posição entre seus irmãos. Entre os israelitas havia dois tipos de anciãos: os "anciãos de Israel" que eram os chefes de família ou de clãs nas várias tribos, e os "anciãos" das cidades construídas e habitadas depois da Conquista. [...] O termo hebraico é, assim, equivalente ao termo Homérico gerontes, ao espartano presbys, ao romano senatus e ao árabe sheikh.

A autoridade dos anciãos era, em princípio, maior do que a do próprio rei (2 Reis 23.1). Foi este grupo que exigiu que Samuel designasse um rei (1Sm 8.4-6), e foram partidários da aliança real que estabeleceu Davi como rei (2 Sm 5.3). Na Babilónia, os anciãos eram o ponto central da comunidade judaica que estava no exílio (Jr 29.1; Ez 8.1; 14.1; 20.1-5), e, após o retorno a Jerusalém, ainda permaneciam ativos (Ed 5.5,9; 6.7,8,14; 10.8,14).

ANCIÃOS. Refere-se aos sábios de Israel que eram a fonte e os comunicadores das palavras de sabedoria tradicionais. É usado na RSVem inglês somente em l Samuel 24.13, mas outros versículos podem referir-se a eles de uma maneira velada, como, por exemplo, em Jó 12.12 e Isaías 3.2. A expressão os 'mais velhos de Israel' provavelmente também se refira a estes ensinadores respeitáveis" (Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006).

Professor, pelos nomes acima citados e as informações apresentadas, podemos perceber a importância dos anciãos na história de Israel como nação, pois eles foram quem deram origem às instituições que existem até os dias de hoje, como o presbitério (presbys) da Igreja e o senado (senatus) nas repúblicas.

O carinho com os avós: são os pais dos nossos pais
Quando somos crianças, temos muito carinho por nossos avós, mas quando entramos na adolescência muitos têm a tendência a se afastar deles como quem descarta um equipamento que ficou obsoleto e não serve mais. Tremendo engano.

Seus avós são a sua origem, seu DNA, seu sobrenome, sua qualidade de vida; até seu conforto, em última análise, vem deles. Afinal, tudo o que seus pais fizeram por você, seus avós fizeram por eles. Só por isso, eles já merecem toda a sua atenção, carinho e respeito. O nome que se dá a isso é gratidão. Mas tem mais: eles podem ser uma importante fonte de conhecimento para você.

Por tudo isso, quem for esperto, vai colar em uma pessoa mais experiente como os idosos, pois diferente dos adultos, eles têm tempo e muito interesse em ouvir e falar com você. E tem muita experiência de vida para te passar!
 
AUXÍLIO BIBLIOLÓGICO
Caro professor, a Bíblia fala que devemos honrar os pais e os mais velhos, mas o que é honra? Você poderia se perguntar.

"A honra é o alto respeito ou estima mostrada a uma outra pessoa ou recebida dela, ou ainda uma demonstração de tal respeito. O conceito é expresso figurativamente no AT por palavras que também são traduzidas como beleza, majestade, talento, preciosidade, valor e glória. Os paralelos são significativos: glória e honra (1Cr 16.27; SI 8.5); glória e majestade (SI 21.5; 96.6; 104.1); honra e distinção (Et 6.3); dádivas, prémios e grandes honras (Dn 2.6); riquezas e glória (1Rs 3.13). Dessa forma, o conceito insere-se na adoração, que é o reconhecimento do valor. O próprio Deus merece toda a honra: o reconhecimento daquilo que Ele é, e a atribuição do louvor que lhe é devido. Deus também pode fazer com que os homens se­jam reconhecidos pelos outros: Ele ordenou que fosse mostrado respeito pelos pais (Ex 20.12) e aos mais velhos (Lv 19.32).

A honra, como subproduto da sabedoria e da piedade, é associada à vida no sentido de que só poderia encontrar seu cumprimento em uma imortalidade abençoada (Pv 3.16; 8.18; 21.21; 22.4; cf. Rm 2.7,10)" (Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 936).

Respeitemos as pessoas mais velhas!
A Bíblia leva muito a sério o respeito aos mais velhos. Veja só o que está escrito em Levítico 19.32: "Fiquem de pé na presença das pessoas idosas e as tratem com todo o respeito; e honrem a mim, o Deus de vocês. Eu sou o SENHOR." Viu? Para Deus, o nosso Senhor, esse assunto é sério.
Isto não quer dizer que todas as pessoas mais velhas são legais ou simpáticas. Muitas são ranzinzas, até mesmo antipáticas. Mas todas merecem o nosso respeito.

AUXILIO TEOLÓGICO
[Em Levítico 19.] "A santidade envolve o relacionamento com os pais (v. 3), as crian­ças (v. 29), Deus (w. 4-8, 26-28, 30,31), os pobres e estrangeiros (w. 9, 10, 15, 33-34), as mulheres (w. 20-22), o próximo e paren­tela (vv. 11-18, 35, 36), os mais velhos (v. 32), os animais (v. 19), aterra (vv. 19,23-25) e os deficientes (v. 14).

Cada seção indica uma reação diferente por parte de quem vive em santidade: obe­diência aos pais e a Deus; respeito pelos mais idosos; atenção às ne­cessidades físicas dos mais pobres; dizer a verdade; estar acima das tentações da injustiça (HAMILTON, Victor P. Manual do Pentateuco. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.333).

Conclusão
Vou te contar um segredinho: Dá uma olhadinha em seus avós, olhou? Eles são vocês amanhã. E isso aí. Um dia vocês vão envelhe­cer e terão a idade deles. E, provavelmente, terão netos iguais a vocês. Se isto é algo bom ou ruim, só vocês poderão dizer. Mas de uma coisa eu sei: tratem seus avós como vocês gostariam de ser tratados (Mt 7.12).

Seus avós não são eternos. Por isso, não dê motivo para se arrepender de um abraço não dado, uma presença mais frequente, um "eu te amo", "me desculpe", ou mesmo "obrigado por tudo" não dito.

Aproveite esta oportunidade preciosa que você tem de conviver com seus avós. Você não vai se arrepender.
Recapitulando
Nas famílias patriarcais, o indivíduo mais velho era o que tinha mais autoridade. Mas os tempos mudaram, e a sociedade patriarcal foi substi­tuída pela sociedade do consumo: uma explosão de produtos, tecnologias e costumes diferentes tornaram a figura do patriarca obsoleta.

O nosso corpo está em constante transformação. Quando entramos na terceira idade, nosso corpo começa a perder vigor, força e agilidade: estamos envelhecendo. Mas o que a gente perde em vigor, ganha em ex­periência. Além disso, com o avanço da medicina e da economia em nosso país, as pessoas estão vivendo mais e melhor.

Seus avós são a sua origem, seu DNA, seu sobrenome, sua qualidade de vida; até seu conforto, em última análise, vem deles. Afinal, tudo o que seus pais fizeram por você, seus avós fizeram por eles. Só por isso, eles já merecem toda a sua atenção, carinho e respeito.

A Bíblia - ou seja, o próprio Deus, já que a Bíblia é a sua Palavra - leva muito a sério o respeito aos mais velhos.

Um dia vocês vão envelhecer e terão a idade deles. É, provavelmente, terão netos iguais a vocês. Por isso, tratem seus avós como vocês gos­tariam de ser tratados: "Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês; pois isso é o que querem dizer a Lei de Moisés e os ensinamentos dos Profetas" (Mt 7.12).

Refletindo
1. Qual foi a última vez que você esteve com os seus avós? Resposta pessoal.
2. Há pouco ou muito tempo?
Resposta pessoal.
3. Que tal fazer uma visitinha surpresa a eles e dizer o quanto você os ama?
Resposta pessoal.

Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 4° trimestre de 2017, CPAD – Reverberação: Subsídios EBD


 
Top