Anuncios

 

FECHAR

CLIQUE AQUI

- REVISTA JUVENIS PROFESSOR 1º TR. DE 2018
- Título do Trimestre: Avivamento para a Juventude
- Classe: de 15 a 17 anos – Juvenis
- Editora: CPAD
- Comentarista: Rafael Luz
- Reverberação: Subsídios EBD
LEITURA DIÁRIA
SEG. Mt 1.18-23: Jesus, o Emanuel
TER. Jo 14.6: Jesus é o caminho de volta para Deus
QUA. Lc 9.18-20: Jesus é o Messias Prometido
QUI. 1Tm 2.5: Jesus é o único mediador entre Deus e os Homens
SEX. Mt 9.2-6: Jesus Perdoa Pecados
SAB. Jo 1.1: Jesus é o verbo que se fez carne

REFLEXÃO BÍBLICA
"No principio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus".
OBJETIVOS
- Conhecer a pessoa e a obra de Jesus Cristo.
- Descobrir alguns equívocos ditos sobre Jesus.
- Buscar uma comunhão pessoal com Jesus Cristo.

APROFUNDE SEU CONHECIMENTO - LEIA TAMBÉM:

LEITURA BÍBLICA
Mateus 1.18-25;
18 Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo.
19 Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente.
20 E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo;
21 E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.
22 Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz;
23 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco.
24 E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher;
25 E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus.
Mateus 16.13-16
13 E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?
14 E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.
15 Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?
16 E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
SINTETIZANDO
Jesus Cristo é, sem sombra de dúvidas, uma das figuras mais populares da história da humanidade. A História se divide em antes de Jesus e depois dEle. Mas quem foi realmente Jesus? Ele é o filho de Deus ou foi apenas um mártire? Até hoje muitos não conseguem compreender seus ensinos. Na lição de hoje, teremos a oportunidade ímpar de estudarmos a respeito de Jesus de Nazaré.

INTRODUÇÃO
Na lição de hoje, estudaremos um tema conhecido como "Cristologia", ou seja, "o estudo de Cristo". Vamos conhecer a pessoa e a obra de Jesus Cristo, bem como refutar a equivocada ideia de que todos os caminhos levam a Deus. O Brasil é uma nação muito religiosa e sincrética, Razão pela qual, faz-se necessário conhecermos ainda mais o Jesus revelado nas Escrituras e confirmado pela história, para que o tornemos conhecido como de fato Ele é, O Deus-homem, veio buscar e salvar o que havia se perdido. Ele é o único caminho, a exclusiva verdade e a vida abundante de Deus.
A AULA VAI COMEÇAR!
Professor, professora, para iniciar a aula de hoje sugerimos que você realize uma dinâmica de grupo chamada de tempestade cerebral. Escreva no quadro a seguinte indagação: "Quem é Jesus para você?" Ouça os alunos e não faça juízo de valor, pois o importante agora são só as ideias. À medida que os alunos forem falando, vá escrevendo as respostas no quadro. Depois, explique quem e Jesus e o que Ele veio fazer no mundo. Conclua dizendo que o Jesus que o mundo conhece na maioria das vezes não é o Jesus que a Bíblia apresenta. Ótima aula!

1. PESSOA E OBRA DE JESUS CRISTO
Uma das declarações mais importantes do cristianismo bíblico e histórico é a afirmação de que Jesus Cristo é verdadeiro homem e verdadeiro Deus.

O evangelista Mateus, narrando o anúncio do nascimento de Jesus, revela-nos que Ele seria chamado de Emanuel (Deus Conosco), ou seja, Deus está como homem e entre os homens (Mt 1.23).

João declara que o "verbo se fez carne e habitou entre nós" (Jo 1.14). Paulo enfatiza que Jesus, sendo Deus, "não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens" (Fp 2.6,7). Entretanto, faz-se necessário entendermos que o ensino sobre a natureza humana de Jesus não inviabiliza sua natureza divina. Como acertadamente afirmou um importante pregador: "Jesus é o Deus que vestiu pele humana".

O Jesus revelado na Bíblia é tanto homem quanto Deus. Sendo homem teve limitações relacionadas ao tempo e espaço, bem como sentiu fome, sede, sono, cansaço, dor, tristeza, indignação, teve mãe e irmãos, experimentou a morte. Ele viveu intensamente as emoções humanas (Mt 8.24; 26.37). No entanto, como Deus afirmou ser igual ao Pai, perdoou pecados, foi o cumprimento das Escrituras, Eterno, Onisciente, Criador, Senhor e Salvador. Jesus tinha pleno conhecimento de sua Divindade (Cl 2.9; Ap 1,7,8).

As Escrituras não se preocupam apenas em dizer quem Jesus era, mas também aquilo que Ele veio fazer no mundo. De acordo com as Escrituras Sagradas, Jesus, o Deus encarnado, não veio passear na Terra ou conhecer mais de perto a realidade humana, antes, veio cumprir a profecia de redenção pronunciada pelo próprio Deus no Éden (Gn 3.15). O anjo Gabriel confirma isso dizendo: "porque ele salvará o seu povo dos seus pecados" (Mt 1.21). O próprio Jesus confirma esta verdade ao afirmar que "o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido" (Lc 19.10). "Jesus morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras; foi sepultado [...] ressuscitou ao terceiro dia [...] e apareceu [...]" (1Co 15.3-6). Nesse texto, Paulo faz uma defesa e síntese da mensagem do Evangelho demonstrando a morte e sepultamento de Jesus como partes essenciais de sua missão, bem como a ressurreição e seu aparecimento a tantas pessoas como provas irrefutáveis de sua divindade e de que o sacrifício ofertado a Deus foi aceito.
AÇAO TÓPICO l
Inicie o tópico fazendo a seguinte pergunta: "Qual a missão de Jesus neste mundo?" Explique que a missão de Jesus era salvar os perdidos. Ele veio para morrer em nosso lugar.


2. NEM TODOS OS CAMINHOS LEVAM A DEUS
O pecado colocou o homem para fora do jardim do Éden e o levou para distante de Deus, fazendo-o caminhar na contramão do céu. Iludido com a mentira de que "todos os caminhos o levarão a Deus", ignora o fato de que "quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve".
Vejamos três caminhos percorridos pela humanidade carente de Jesus:
a) O caminho da incredulidade.
É marcado por uma descrença profunda, onde se nega a existência de Jesus. Acreditam em Jesus como um homem importante do seu tempo, um líder político, mas não como o Filho de Deus.

b) O caminho da religião.
Tem levado inúmeras pessoas à perdição. Estima-se que no mundo existam milhares de religiões, todas diferentes uma das outras. Se o ditado popular de que "toda religião é boa e que todo caminho leva-
-nos a Deus" fosse verdade, significaria dizer que "existem milhares caminhos alternativos e diferentes para o homem chegar até Deus".

c) O caminho da autoajuda.
Valoriza a autossuficiência do homem, elevando o seu ego ao centro das atenções, ignorando o fato de que o homem é instável, frágil, limitado e pecador.
Como vimos o caminho escuro da incredulidade, o caminho plural das religiões, ou o caminho ilusório da autoajuda não são por si só, suficientes para conduzirem a humanidade a um relacionamento correto com Deus, Somente através de Jesus Cristo, o homem pode encontrar o caminho de volta para Deus, a verdade plena sobre o Criador e a vida eterna com Ele (Jo 14.6).

AÇÃO TÓPICO 2
Pergunte aos alunos: "Para vocês, Jesus Cristo é o caminho ou um caminho?" "Vocês acham que isso faz alguma diferença?" "Qual?' Explique que Jesus é o único caminho que pode nos conduzir até Deus.

3. JESUS, VERDADEIRO HOMEM E VERDADEIRO DEUS
Vez por outra ouvimos pessoas, que se dizem intelectuais, afirmando sua admiração pela pessoa de Jesus, seus  ensinamentos e seu estilo de vida simples. Entretanto, repetidas vezes, essas mesmas pessoas incorrem no erro de rejeitarem a totalidade de suas afirmações, sobretudo aquelas relacionadas à sua divindade (Jo 10.30, 33; Lc 5.18-26). Aceitam Jesus como o maior psicólogo do mundo; o melhor pedagogo da história; o homem mais evoluído da face da terra; a expressão máxima da bondade; um grande exemplo a ser seguido; um inquestionável profeta revolucionário; no entanto, são incapazes de enxergá-lo e aceitá-lo como Deus. C. S. Lewis admitiu que essa postura preconceituosa assumida pelos "intelectuais" é, no mínimo, incoerente e inconsistente, pois caso Jesus não fosse de fato quem Ele dizia ser, Deus Conosco, Ele não poderia ser nada do que os homens diziam a seu respeito. Muito pelo contrário, "um homem que fosse apenas homem e dissesse a espécie de coisa que Jesus disse não seria um grande mestre moral", antes, seria um louco, fanático ou mentiroso, menos um exemplo a ser seguido. Mas como temos visto, Jesus é o Filho de Deus. Sua mensagem e vida, sua autoridade e poder, bem como sua morte e ressurreição, serviram-nos não só como exemplo de homem, mas como prova de sua divindade. Ele é a imagem do Deus invisível (Cl 1.14-17).

AÇÃO TÓPICO 3
Faça as seguintes indagações: 'Ao olhar para os evangelhos vocês conseguem identificar mentira nos ensinos de Jesus?"
"Seria suicídio intelectual acreditarmos que de fato Ele é Deus?"

4. AMAR A JESUS, SUA MELHOR ESCOLHA
Todos os dias somos confrontados com situações que exigem de nós urna escolha inteligente e uma posição radical. Devemos ter cuidado para não negarmos a Cristo com palavras e atitudes momentâneas, como fez Pedro, pois afinal de contas o galo ainda sabe cantar! O desafio nosso de cada dia é reafirmarmos Jesus Cristo como Senhor e Salvador de nossa vida.

Crer e amar a Jesus Cristo não é um ato de "suicídio intelectual". Mas é uma demonstração de exercício pleno das faculdades mentais, onde o homem, tocado e convencido pelo Espírito Santo, reconhecendo sua condição de pecador, rende-se inteira e incondicionalmente à graça maravilhosa de Deus revelada na pessoa e obra de Cristo Jesus. Quando entregamos nossa vida a Cristo e experimentamos o novo nascimento, Cristo é entronizado e estabelecido Mestre, Senhor, Salvador e Rei de nossas vidas.

Jovem, siga os conselhos do pastor Jonh Stott. Ele declara que não devemos tratar a Jesus somente com títulos honrosos, mas sim seguir seus ensinos e obedecer aos seus mandamentos. Que Cristo reine em sua vida, sobre você e através de você. Ame-o intensamente e siga-o radicalmente.

AÇÃO TÓPICO 4
Pergunte a seus alunos: "Ao utilizarem as redes sociais, por exemplo, o Facebook, vocês estão honrando a Jesus com suas postagens ou a fé de vocês só se manifesta dentro da igreja?"

Subsídio 2
Ensinamentos falsos sobre a dupla natureza de Cristo
O mistério das duas naturezas de Cristo tornou-se motivo de controvérsias entre certos grupos cristãos a partir do primeiro século. Apareceram no seio do cristianismo certos ensinamentos que foram posteriormente condenados e rejeitados, tanto pelos apóstolos quanto, pelos pais da igreja.

Gnósticos, É provável que o gnostícismo tenha surgido como um segmento cristão, no Egito, entre o fim do século l e o início do século II. Muitos escritos do gnosticismo do segundo século foram encontrados, incluindo o chamado Evangelho Segundo Tomé.
Os gnósticos formularam três conceitos diferentes:
1) Negavam a realidade do 'corpo humano' de Cristo. Ensinavam que Cristo apareceu na pessoa de Jesus, mas que este nunca foi realmente um ser humano.

2) Afirmavam que Cristo tinha um 'corpo real', mas negavam que fosse material.

3) Ensinavam uma 'Cristologia' dualista, pela que 'Cristo' teria entrado em 'Jesus' no batismo e o abandonado pouco antes de sua morte.

Há menções indiretas ao gnosticismo nas epístolas de João: 'Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne [como homem]. Este tal é o enganador e o anticristo'" (SILVA, Severino Pedro da. Teologia Sistemática Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2008, pp. 123,24).

SUBSÍDIO 2
O próprio Jesus declarou ser Deus
"Quando os seus inimigos lhe perguntaram: 'És tu o Cristo. Filho do Deus Bendito?, Ele respondeu: 'Eu o sou' (Mc 14,61,62). Ele chamou Deus de meu Pai (cf. Mt 10.32). Ele declarou ser também 'o Filho unigênito que está no seio do Pai' (Jo 1.18) e disse 'Quem me vê a mim vê o Pai' (Jo14.9). Para a mulher samaritana, Ele disse que era o Messias (Jo 4.25,26), notícia que se espalhou em toda a cidade (Jo 4.29). Ele disse ser: 'o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro' (cf. Ap 22.13) e 'Eu sou' (Jo 8.24,28,58; 13.59; compare com Êx 3,14). Aquele que nega a deidade de Jesus rejeita o próprio testemunho de Jesus, e mostra assim que é inspirado pelo espirito do Anticristo (1Jo 2.22,23), Se Jesus fosse, como os teólogos modernistas afirmam, um produto da união entre Maria e José ou como qualquer outro homem, o mundo não teria nenhum Salvador, e Jesus seria um homem mentiroso, porque afirmou ser o Filho de Deus. Mas glória a Jesus! Ele é Deus bendito eternamente" (Rm 9.5) (BERGSTÉN, Eurico. Teologia Sistemática. 6.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, P.51).

CARO PROFESSOR, "seus alunos começam a pensar por si, independente de seus pais, professores e outros adultos. Eles desconfiam de tudo e de todos. Por isso, é importante explicar a eles que não há nada de errado em questionar; o cristianismo é capaz de enfrentar até mesmo as perguntas mais difíceis" (JOHNSON, Lin. Como Ensinar Adolescentes. 2ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p. 33).

PARA CONCLUIR
Segundo o pastor inglês William Temple, o "cristianismo é a entrega total de tudo o que conheço de mim a tudo o que conheço de Jesus Cristo". Definitivamente, não há fé cristã autêntica sem entrega incondicional a Cristo. Jesus Cristo espera de você um discipulado radical, um amor incondicional e uma obediência irrestrita.

Um verdadeiro discípulo é aquele que não somente ouve atentamente as palavras de seu Mestre, mas que se empenha corajosamente em praticá-las, independente dos desafios em sua vida diária (Mt 7.24-27). Ouça o conselho do apóstolo Pedro: "Antes crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo" (2 PE 3.18).

HORA DA REVISÃO
1. Qual é a declaração mais importantes do cristianismo bíblico e histórico?
R: É a afirmação de que Jesus Cristo é verdadeiro homem e verdadeiro Deus.
2. Qual era a missão de Jesus na Terra?
R: Jesus veio para cumprir a profecia de redenção pronunciada pelo próprio Deus no Éden (Gn 3.15).
3. Quais são os três caminhos percorridos pela humanidade alienada e carente de Jesus?
R: O caminho da incredulidade, o caminho da religião e o caminho da autoajuda.
4. Segundo a lição, qual o desafio nosso de cada dia?
R: É reafirmarmos Jesus Cristo como Senhor e Salvador de nossa vida.
5. Quem Jesus é para você?
R: Resposta pessoal.

Leia também:
- Lições Bíblicas de Jovens – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Lições Bíblicas de Adultos – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui

- Lições Bíblicas Juvenis - – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui

Postar um comentário

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE O QUE VOCÊ LEU NESTA PÁGINA


 
Top