{ FECHAR }

CLIQUE AQUI


Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 3° de 2017
Editora: CPAD
Revista do Professor
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
TEXTO BÍBLICO
João 17.1-26
Destaque
"E peço que todos sejam um. E assim como tu, meu Pai, estás unido comigo, e eu estou unido contigo, que todos os que crerem também estejam unidos a nós para que o mundo creia que tu me enviaste" (Jo 17.21).
LEITURA DEVOCIONAL
SEG.....................................................................Gn 1.25
TER.....................................................................Jo 5.17,18
QUA....................................................................Jo 14.11 QUI...................................................................Mt 11.25,26
SEX.....................................................................Ef 4.4-6
SÁB.....................................................................Cl 2.2
DOM....................................................................1Jo 2.6
Objetivos
- Destacar que o Pai e o Filho fazem parte de uma unidade composta;
- Demonstrar que não pertencemos a este mundo do mesma modo que Cristo não pertenceu;
- Apontar que a vontade de Deus é que tenhamos um relacionamento unificado com Ele.
Material
Folhas de papel sulfite
        
QUEBRANDO A ROTINA
Prezado Professor aprender na aula de hoje que o relacionamento entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo é um exemplo de unidade na diferença, ou seja, servimos a um só Deus que está presente em três personalidades diferentes que atuam em plena concordância e propósito. Do mesmo modo, o Criador espera que a humanidade, esteja em plena comunhão com Ele. Dado isso, professor, proponha uma atividade que possa ajudar seus alunos a fixarem o conteúdo da lição, Divida a turma em grupos e forme conjuntos de palavras. Peça os grupos de alunos que formem sentenças usando as seguintes palavras: unidade, diferença, unigênito, relacionamento, identidade, trindade,  mundo, corpo. Ao final, cada grupo deverá escolher um representante para ler as sentenças que conseguiram elaborar.
ESTUDANDO A BÍBLIA
Professor, a aula de hoje tem muito a ensinar com respeito à maneira de nos relacionamos com os demais irmãos. A igreja é o Corpo de Cristo e deve preservar a comunhão. Para isso, as pessoas que fazem parte da igreja devem se comportar de forma harmoniosa uns com os outros. Embora seja verdade que temos muitas características distintas e nem sempre pensamos da mesma forma, temos que entender que fomos chamados para vivermos em um só propósito: vivermos para a glória de Deus. Por esta razão, deve haver um esforço de nossa parte, a fim de contribuirmos para o crescimento da comunhão e intimidade com o Pai. O nosso relacionamento com Deus depende em muito da forma como nos relacionamos com os demais irmãos. Por isso, não podemos alimentar qualquer sentimento de ira ou mágoa em nosso coração, pois a falta de perdão só aumenta a distância entre os membros do Corpo de Cristo e dificulta o bom trabalho realizado para o Reino de Deus.

Você sabe o que é unidade? De acordo com o dicionário Michaelis, unidade é a qualidade do que é único; que tem coesão; concordância; identidade de propósito; ação combinada de diversos agentes com a mesma finalidade. A Palavra de Deus nos fala a respeito da unidade que há entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo. O nosso Senhor ensinou que esta comunhão deve haver também entre aqueles que se tornaram seus filhos.

O Pai e o Filho são um
No contexto bíblico, quando falamos de unidade, nos referimos à harmonia, à uniformidade, à identidade que há entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo. A Bíblia usa em Gênesis 1.1 a Palavra Elohin para expressar Deus. Elohin é um substantivo hebraico na forma plural, isto é, que inclui uma pluralidade de personalidades em uma só pessoa. A palavra "único", ligada a Deus (Dt 6.4), vem da palavra hebraica achad, que indica uma unidade composta (quando essa palavra é usada no sentido absoluto, é empregada a palavra yacheed). Quando Deus fala de si, em várias ocasiões, usa a forma plural: "Façamos o homem" (Gn 1.26); "Eia, desçamos" (Gn 11.7); "Quem há de ir por nós?" (Is 6.8).

Em o Novo Testamento, João, o apóstolo amado, relatou que a comunhão entre o Filho e o Pai é uma unidade. Cristo possui os atributos de Deus em sua natureza divina, mas se distingue das demais pessoas da Santíssima Trindade. Assim, Ele e o Pai formam uma unidade. Os Evangelhos revelam Jesus em perfeita harmonia com o Pai: "Eu e o Pai somos um" (Jo 10.30). Jesus se declarou Filho de Deus semelhante ao Pai, revelando possuir a mesma natureza divina. Por conta disso, os judeus pegaram em pedras para o apedrejarem, pois nosso Senhor não só afirmava que Deus era o seu Pai, como também dizia possuir a mesma essência divina (Jo 5.18; 10.30).

Semelhantemente em João 14.8-10, quando Filipe pediu: "Senhor, mostre-nos o Pai, e assim não precisaremos de mais nada", de pronto, Jesus perguntou a Felipe como era possível ele estar há tanto tempo com o Mestre e ainda assim perguntar a respeito da identidade do Pai. Ora, quem vê a Cristo também vê o Pai. O mundo não conheceu a Deus, mas o seu próprio Filho o tornou conhecido entre os homens. Isto se comprova por intermédio das obras que Cristo realizou (v.11). A grandeza da sabedoria encontrada nas palavras de Jesus e a manifestação do poder de Deus testificavam que Jesus Cristo tem a mesma natureza do Pai.

 
AUXÍLIO TEOLÓGICO
Uma maneira de se desvendar as distinções das pessoas, na divindade, consiste em se observar as funções atribuídas especificamente a cada uma delas. Exemplificando: Deus Pai é relacionado à obra da criação; Deus Filho é principal agente da obra de redenção da humanidade; e Deus Espírito Santo é a garantia de nossa herança futura. Esta tríplice distinção é esboçada no primeiro capítulo de Efésios. Contudo, não devemos pressionar tais distinções, pois há abundante testemunho bíblico quanto à cooperação do Filho e do Espírito Santo na obra da criação: o Pai enviou o Filho ao mundo para efetuar a redenção (Jo 3.16), e o próprio Filho, em seu ministério, veio no poder do Espírito (Lc 4.14). O Pai e o Filho, de igual modo, tomam parte no ministério do Espírito Santo, que consiste em santificar o crente.

A Trindade é uma comunhão harmoniosa dentro da deidade. Essa comunhão é amorosa, porque Deus é amor. Mas esse amor é expansivo, e não autocentralizado. Ele requeria que, antes da criação, houvesse mais de uma Pessoa dentro do Divino Ser. [...] Embora o termo 'trindade' não seja encontrado em nenhum lugar da Bíblia, há numerosas passagens que lhe fazem alusão. Um vívido exemplo é visto de maneira clara nos eventos que cercam o batismo de Jesus no rio Jordão: 'Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis que uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo' (Mt 3.16,17). Admitimos ser a Trindade um mistério; um mistério mui profundo: não pode ser compreendido pela mente humana. Mas o Espírito da Verdade ajuda-nos em nossa fraqueza e incapacidade (1Co 2.13-16). Adoramos o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Reconhecemos-lhes suas respectivas personalidades por suas atuações descritas pela Bíblia. Por conseguinte, humildemente reconhecemos serem Eles Um em comunhão, propósito e substância" (HORTON, Stanley M; MENZIES, William. Doutrinas Bíblicas: Os Fundamentos da Nossa Fé. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, pp.43,45).

Não somos do mundo
Ainda no Evangelho de João, no capítulo 17, encontramos a oração sacerdotal de Jesus por seus discípulos. Momento antes de ser preso o Mestre intercedeu por seus discípulos e rogou ao Pai que os livrassem de todo mal. Ele declarou ao Pai que enquanto esteve junto deles, os guardava na verdadeira fé do Evangelho para nenhum se perder, embora Judas se tornasse o filho da perdição, cumprindo assim as Escrituras.

A oração de Jesus não estava limitada somente aos discípulos do seu tempo terreno. Jesus também orava por aqueles que futuramente receberiam a sua Palavra. Por isso, meu caro adolescente, se você já recebeu Jesus como o seu salvador, saiba que essa oração também abrange a sua vida. Você não pertence mais a este mundo e, por isso, não deve se conformar com as práticas pecaminosas que dominam a sociedade. Mas o que fazer quando se é pressionado a ser igual as outras pessoas?
A Bíblia não diz que o jovem não pode se divertir. Há tantas coisas que você pode participar com seus amigos sem necessariamente pecar contra Deus. Um passeio, um encontro de jovens, um retiro de adolescentes e tantas outras atividades divertidas contribuirão muito para o crescimento da comunhão entre os adolescentes da sua igreja. Pense bem antes de achar que porfa-zer parte da igreja você não pode se divertir.
AUXILIO TEOLÓGICO
A perfeita unidade que Jesus pede não é uma união organizacional das igrejas, mas sim uma união espiritual dos crentes com o Pai e o Filho. Uma união à qual nós nos submetemos para cumprir a vontade do Pai. Uma união que capacita Cristo a agir por nosso intermédio, 'para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim e que tens amado a eles como me tens amado a mim' (17.23).

Desta maneira, João 17 retoma o tema de João 15. Ali, Cristo f ala de si mesmo como Videira, e se refere aos crentes como os ramos (as varas), e ressalta a importância de permanecer nEle decidindo expressar nosso amor por Ele através de uma resposta sempre obediente aos seus ensinos.

Você e eu podemos ter um relacionamento íntimo e caloroso com os crentes de outras denominações. Isto é possível, não por colocarmos o “i” doutrinário, nem porque cortamos o mesmo “t” teológico, mas sim porque como filhos do mesmo Pai, por meio da fé em Jesus, nós somos irmãos e irmãs, chamados para amar, em lugar de competir uns com os outros. Esta unidade de 'família espiritual' característica verdadeiramente existe, e existe independentemente da união organizacional.

Mas aqui Jesus não ora pela união que você e eu temos um com outro, mas pela união que devemos sentir com Ele e com Deus Pai! Esta união existe porque estamos ligados para sempre a Cristo pelo Espírito Santo. Esta união é sentida quando nós, como Jesus, nos comprometemos a realizar a vontade do Pai, e a sempre respondermos positivamente a Ele" (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento, 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p.242).

Para que todos sejam um
Assim como Cristo e o Pai estão unidos, todos os que creem no Evangelho também podem estar unidos com o Pai. Além de todas as coisas legais que você pode fazer, há algo que não podemos negligenciar: o relacionamento com Deus.

Nesta fase da vida em que você está atravessando tudo é novidade e muitas coisas surgem para distrair a sua mente, sobrando pouco tempo para gastar nas coisas de Deus. Mas saiba que o Criador espera que você o busque, não somente quando estiver passando por algum problema, mas também vivendo os momentos de alegria.
Viver em unidade com Deus é abrir mão das coisas deste mundo, é entender que não existe nada mais importante do que estar em comunhão com o Criador. Você vai conhecer muitos jovens que dizem ser cristão, mas não sentem prazer nas coisas de Deus. Isso acontece porque ainda não tiveram uma experiência genuína com Cristo. Mas você não deve se conformar com essa situação. Busque ao Senhor e peça para conhecê-lo de verdade, e depois, ser batizado no Espírito Santo. A aparência deste mundo passa, porém aqueles que fazem a vontade de Deus vivem para sempre (1Jo 2.17).

Para que o mundo conheça Jesus
O Mestre orou por todos aqueles que um dia ouviriam a mensagem do Evangelho e também se tornariam filhos de Deus (Jo 17.20,21). Para tanto, seus discípulos não poderiam apenas transmitir esta mensagem por meio de meros discursos pronunciados por uma dúzia de homens frustrados com a vida. Não! A mensagem precisava ser transmitida com poder e autoridade. Por essa razão, Cristo recomendou que seus discípulos fossem um, ou seja, que todos assumissem uma só identidade de propósito. Assim como Cristo é um com o Pai, seus discípulos também deveriam ser uma unidade em meio à diferença. Isso significa que somos um com o Pai, mas não somos semelhantes ao mundo. Estamos aqui na Terra para fazer a diferença.

A vontade do Pai é que todos façam parte de um só corpo, cuja cabeça é Cristo e recebam o mesmo Espírito Santo que o Pai enviou para estar conosco todos os dias (Jo 14.16). O selo desta união é o amor, em que todos teriam um mesmo coração e um mesmo sentimento de forma que o nome do Senhor seja glorificado (1Co 12.12,13).
Talvez você se questione que é um adolescente tímido e que essa coisa de pregar não é o seu dom, mas Deus deseja usar a sua vida para que outros jovens também conheçam Jesus. Deus não se importa se você é um pregador eloquente ou não; para Ele o mais importante é o que a sua vida prega. Qual tem sido o seu testemunho? Você tem sido um com Jesus e com seus irmãos? A amizade é um excelente testemunho que contagia muitos adolescentes. Portanto, Cristo é o nosso exemplo de unidade na diferença. Embora sejamos diferentes um dos outros, fazemos parte de um mesmo corpo, servimos a um só Deus e participamos de uma mesma comunhão. Independentemente do tempo, espaço ou lugar, Jesus é tudo em todos!

AUXÍLIO DIDÁTICO
Tempestade de ideias:
Tempestade de ideias é uma maneira bem livre de gerar muitas ideias, sem fazer julgamento de valor, pelo menos não no começo. Depois que as ideias foram geradas, o grupo pode priorizá-las. Aquelas que recebem as notas mais altas podem ser exploradas seriamente. Rita e Kenneth Dunn alistaram os seguintes valores da tempestade de ideias: ela é estimulante; positiva; focalizadora; espontânea e criativa; eficiente e produtiva; envolvente e modeladora de imagem. Os resultados são anotados e podem ser modificados e usados em situações novas. Dado isso, compartilhe com seus alunos o seguinte tema: O que é necessário que a Igreja faça para que o mundo conheça Deus? Permita que anotem as ideias e ampliem a discussão sobre aquelas que são mais importantes" (LEFEVER, Marlene D. Estilos de Aprendizagem, 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2002, pp.216-17).
 
Clique e acesse
RECAPITULANDO
Uma das coisas que mais alegra o coração de Deus é quando os seus filhos estão em comunhão. A unidade do Corpo de Cristo é essencial para que possamos fazer a diferença no meio dessa geração distraída com as coisas que o mundo oferece.

O Criador não está indiferente ao que acontece com as pessoas aqui na Terra. Antes, o desejo de seu coração é estar em comunhão com toda a humanidade, a fim de que ela se volte para Ele e compartilhe de um relacionamento íntimo com Deus (SI 101.6). O Senhor quer que todas as pessoas se tornem filhos de Deus e tenham comunhão com Ele por intermédio de Jesus Cristo (1Tm 2.3-6).

Que por intermédio da lição desta semana, possamos refletir um pouco mais acerca de como temos tratado o nosso relacionamento com Deus e com o nosso próximo, pois isso é mais importante do que todas as outras coisas que possamos adquirir nesta vida.
 
REFLETIANDO
1. Quais qualidades apontam que Cristo e o Pai são um?
R: Cristo e o Pai possuem a mesma natureza divina; a sabedoria que Cristo possuía; extraordinária manifestação de poder e operação de maravilhas que Ele realizava.
2. Você já sentiu a oposição do mundo por causa de sua fé?
Resposta pessoal.
3. O que significa a recomendação de Cristo aos seus discípulos acerca da unidade?
R: Significa que somos um com o Pai, mas não somos semelhantes ao mundo. Estamos aqui na terra para fazer a diferença.
Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 1° trimestre de 2018, CPAD – Reverberação: Subsídios EBD

     

Postar um comentário

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE O QUE VOCÊ LEU NESTA PÁGINA



 
Top