FECHAR <----

CLIQUE AQUI
 

Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 2° de 2018
Editora: CPAD
Revista do Professor
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
TEXTO BÍBLICO
Romanos 1.18-32
Destaque
"E, como não querem saber do verdadeiro conhecimento a respeito de Deus, ele entregou os seres humanos aos seus maus pensamentos, de modo que eles fazem o que não devem" (Rm 1.28).

LEITURA DEVOCIONAL
SEG..................................................................Gn 3.8-24
TER....................................................................Gn 6.13-22
QUA....................................................................Gn 18.17 - 22 QUI...............................................................Mt 15.16-20
SEX.....................................................................Jo 15.1-27
SÁB....................................................................Gl 5.16-26
DOM...................................................................Ap 22.11
Objetivos
- Apresentar os atuais problemas do família;
- Fundamentar o problema-da ignorância do conhecimento de Deus;
- Reafirmaras consequências do pecado.
Material Didático
Cartaz com fotos de vários, modelos familiares e, quadro de giz ou quadro branco (se for o caso, caneta hidrográfica).

QUEBRANDO A ROTINA
Deixe o cartaz exposto à turma com várias fotos de modelos familiares. Em seguida, sem mencionar nada a respeito do cartaz, divida a turma em grupos, formando alguns modelos familiares do/conhecimento deles. Peça a eles quê apresentem o modelo familiar formado pelo grupo e, a partir desta apresentação, aponte para o cartaz e discuta sobre os modelos familiares conhecidos pelos alunos. Pergunte-os se existe algo de errado corri a família, anotando cada ponto citado no quadro. Então, discuta-o se responda-os. Ao final, da discussão, inicie a aula afirmando o valor da família e que ela é uma maneira de sermos alcançados pelo amor de Deus.

ESTUDANDO A BÍBLIA
Todo dia a mídia lança uma pesada carga de informação sobre os adolescentes, disseminando as mais controversas relações familiares. Novelas, filmes, livros e até desenho animado informam às crianças e aos adolescentes os diversos formatos familiares. Junto disto, a realidade sobre o divórcio no Brasil nos assusta e influencia fortemente o meio evangélico. Infelizmente, o tema é uma realidade que a maioria dos adolescentes já se deparou com amigos ou na própria casa.

O foco desta lição é ajudar o adolescente a entender que, embora essa realidade esteja diante de nós, a vontade de Deus para a família é outra: a família está no "coração" de Deus e Ele a guardará.
Professor, que Deus fortaleça e abençoe sua família!

Quando crianças, e até mesmo adolescentes, ouvimos por diversas vezes a pergunta: "O que você quer ser quando crescer?" Mas já parou para pensar como será a sua família quando você ser tornar adulto? Como cristãos, somos confrontados todos os dias, pois o modelo de família que a Bíblia nos ensina a viver é visto como "quadrado" e fora de moda. Será que há algo de errado com a família que Deus criou?

O que está acontecendo com a família?
Na sociedade em que vivemos, as famílias estão cada vez mais fragmentadas e não é difícil identificarmos famílias em que não há mais o respeito e o amor mútuo. Até mesmo dentro da igreja vemos casos tristes, onde o respeito e o amor não florescem, dando lugar apenas à divisão e à contenda. Mas esse é um problema que não foi criado por Deus, mas por nós mesmos. A família funciona bem quando os seus membros cooperam entre si e empregam o amor de Deus de maneira abundante; contudo, quando isso não acontece os eventos ruins ganham espaço na família. Enquanto em seu coração Deus criou a família, Ele pensava no modelo formado por homem, mulher e, em seguida, seus filhos. Você saberia o motivo? Ao criar o mundo, Deus tornou visível a sua inteligência, criando assim as coisas numa ordem carreta que, de acordo com Gênesis 1, tudo quanto fosse criado utilizaria-se das bases que haviam sido formadas anteriormente. Veja por exemplo se podemos plantar uma árvore no meio do mar?!

Assim, antes de criar a vegetação era necessário o surgimento da terra. A família, onde o primeiro casal estava em comunhão e em harmonia, era a base sólida para a construção do edifício familiar. Quando essa base se desajusta é muito difícil que o edifício da família seja mantido. Hoje em dia, vemos formações familiares fugindo do padrão divino e a consequência disso é a falência da "nova fórmula" familiar criada por nós, mas sem a sintonia com o modelo criado por de Deus.
Cada vez que a estrutura familiar enfraquece, a igreja também se torna fraca. Isso facilita cada vez mais o desequilíbrio e a proliferação do pecado na igreja.

- Lições Bíblicas de Jovens – 2° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Lições Bíblicas de Adultos – 2° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Sala do Professor – Acesse Aqui


AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO


"Família forte, igreja forte. A Igreja do Senhor não é fraca, e jamais poderá ser derrotada, pois está firmada sobre a rocha que é Jesus Cristo (Mt 16.18). Todavia, o Corpo de Cristo é formado por diferentes famílias. Quando a família vai bem (permanece firmada em Jesus Cristo), podemos dizer que a igreja também vai bem e segue vitoriosa cumprindo a sua missão. Quando a disfunção familiar se estabelece na família, a igreja deixa de cumprir com a sua missão integral. A disfunção familiar reflete na vida da igreja.

A Escola Dominical consegue reunir todos os membros de uma família, pois no geral ternos classes para todas as faixas etárias, do bebezinho ao ancião. Este é um grande privilégio e uma grande responsabilidade. Como uma instituição que busca o crescimento do Reino de Deus, por intermédio do ensino das Escrituras Sagradas, a Escola Dominical deve trabalhar unida com as famílias a fim de buscar estratégias e projetos, em Deus, para enfrentar os vários inimigos... (BUENO, Telma. Educação Cristã: Reflexões e Práticas. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p.45).

Aias por que isso está acontecendo? Não tem nada a ver, não pode ser tão ruim assim!
Será? Frequentemente o que desejamos para nós não está de acordo com a vontade de Deus e desobedecê-lo, pensam alguns, não parece ser uma ideia tão ruim. Afinal de contas, o que queremos não faz mal a ninguém, pois qual é o problema de buscarmos a nossa felicidade?

Conquanto, em Mateus 15 vemos que do coração saem coisas que tornam o homem impuro e, que por isso, ainda que pareçam boas aos nossos olhos, são repreensíveis diante do Senhor. A Palavra de Deus diz que enganoso é o coração humano (Jr 17.9) e que os seus desejos podem nos levar ao erro, fazendo com que a nossa mente se esvazie do conhecimento de Deus e que nos tornemos tolos, isto é, pessoas cada vez mais distantes do propósito divino (Rm 1.28).

Tudo o que Deus fez é bom e nada deve ser rejeitado (1Tm 4.4). Por isso, qualquer atitude contrária aos planos de Deus rejeita a sua
vontade. Isso é pecado! E pecado porque nos faz caminhar de maneira contrária à vontade divina. O Senhor não se agrada com atitudes assim, porque além de rebeldes, elas fazem com que neguemos a verdade a respeito dEle e outras pessoas deixam de conhecê-lo pelo nosso mau exemplo.

AUXÍLIO DIDÁTICO-TEOLOGICO
Falamos em diversos pontos da lição no termo igreja, o qual assume sentidos diversos em cada momento. Para melhor aprofundamento do termo sugiro a leitura do livro "Igreja Identidade e Símbolos", o qual aborda o tema com clareza identificando suas expressões e significados no Novo Testamento. Assim, não devemos confundir igreja, como o templo, com a Igreja Corpo místico de Cristo: Por fim, ekklesia designa a Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo, instituída no dia de Pentecostes pelo derramamento do Espírito Santo. Essa comunidade universal, corpo glorioso e místico de Cristo, é composta por homens e mulheres regenerados de todas as raças e línguas que corresponderam positivamente à pregação do evangelho, e confessam e servem a Cristo como único e suficiente Senhor e Salvador (BENTHO, Esdras Costa. Igreja, Identidade & Símbolos. Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p.115).

Mas, temos saída?
Deus não muda (Ml 3.6) e, assim também, os seus planos e vontade. Não importa que a sociedade tenha encontrado novos padrões ou até mesmo que se encontre em um modelo que não seja o que Deus desejou. O que importa é buscar nEle a direção divina para abençoarmos a nossa família, fazendo a sua vontade e sendo luz em meio às trevas para essa geração perdida. Lembre-se de que a nossa família, uma vez unida e saudável, colabora para que a nossa igreja seja também uma instituição una e sadia, e de modo suficiente para cumprir a vontade de Deus.

Clique e acesse
Assim, como que para toda ação há uma reação, para cada decisão tomada por nós há uma resposta de Deus. Para decisões tomadas conforme a sua vontade há bênçãos e aprovação; mas para decisões contrárias a vontade divina há repreensão e consequência. A Palavra de Deus nos adverte que o salário do pecado é a morte (Rm 6.23) e não há outra opção. Deus tem revelado o seu amor e poder desde a criação do mundo, e por isso não há desculpas (Rm 1.20). A cada escolha que faz a nossa família ser unida ou dividida, prestaremos contas diante de Deus.

AUXILIO TEOLÓGICO
Um grande mal entendido entre os cristãos e os psicólogos não-cristãos envolve o significado do pecado. Os terapeutas e os assistentes sociais são especialmente desastrosos com a palavra, por que pensam nela como um termo depreciativo dirigido às pessoas em referência ao comportamento específico. A verdade bíblica é que o pecado é a natureza caída da humanidade. Como resultado da queda o pecado é o nosso primeiro estado e a fonte primária do comportamento humano. Todos sofremos as consequências do pecado de Adão, dos nossos próprios pecados e dos pecados dos outros.

A direção do Espírito Santo é a principal fonte ideal do comportamento cristão. O Espírito Santo nos atrai para a consciência do amor de Deus e nos torna consciente do pecado. Ele desperta nossas necessidades de propósito e significado de vida. A obra do Espírito Santo é abrir a porta pela qual podemos entrar e ter segurança e aceitação, como pessoas na comunidade cristã (PALMER, Michael D. Panorama do Pensamento Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, pp.216,17).

Conclusão
De tudo o que vimos hoje, qual lição podemos aplicar em nossa vida?
Deus, o criador de todas as coisas, desejou em seu coração um modelo familiar perene. Ainda que digam ser esse modelo ultrapassado, desvalorizado, não hesite em se manter firme no propósito de atender a vontade de Deus. Ele conta com homens e mulheres, como eu e você, que, optando por fazer a diferença nesta geração, juntamente com as nossas famílias, vivam a mensagem de salvação, paz e bem, cumprindo o papel evangélico de mostrar ao mundo que a família conforme o modelo divino é uma bênção para a humanidade.

RECAPITULANDO
Na sociedade em que vivemos, as famílias estão cada vez mais frag­mentadas e não é difícil identificarmos famílias em que não há mais o respeito e o amor mútuo. Até mesmo dentro da igreja vemos casos tristes, onde o respeito e o amor não florescem, dando lugar apenas à divisão e à contenda.

Hoje em dia, vemos formações familiares fugindo do padrão divino e a consequência disso é a falência da "nova fórmula" familiar criada por nós, mas sem a sintonia com o modelo criado por Deus. Cada vez que a estrutura familiar enfraquece, a igreja também se torna fraca. Isso fa­cilita cada vez mais o desequilíbrio e a proliferação do pecado na igreja.

Lembre-se de que a nossa família, uma vez unida e saudável, colabora para que a nossa igreja seja também uma instituição una e sadia, e de modo suficiente para cumprir a vontade de Deus.

REFLETINDO
1. Como é o modelo da família criado por Deus?
R: A família é formada por homem e mulher, seguida por filhos.
2. O que faz com que muitas famílias nos dias de hoje não vivam os planos de Deus?
R: As pessoas têm se deixado guiar por suas vontades e se afastando cada vez mais dos planos de Deus.
3. Como é a família que você deseja formar? De acordo com o modelo criado por Deus?
R: Pessoal.

Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 2° trimestre de 2018, CPAD – Divulgação: Subsídios EBD

 
Top