{ FECHAR }

CLIQUE AQUI


Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 2° de 2018
Editora: CPAD
Revista do Professor
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
TEXTO BÍBLICO
Mateus 10.37
Destaque
“Quem ama o seu pai ou a sua mãe mais do que ama a mim não merece ser meu seguidor. Quem ama o seu filho ou a sua filha mais do que ama a mim não merece ser meu seguidor”.

LEITURA DEVOCIONAL
SEG..................................................................Jo 8.12-20
TER.................................................................2Co 4.1-15
QUA................................................................Lc 9.46-48
QUI................................................................ Tg 2.1-13
SEX................................................................Mc 9.38-41
SÁB...............................................................Hc 3.16-19
DOM..............................................................Êx 20.1-6
Objetivos
- Explicar o que é a religião;  
- Conscientizar que Deus deve ser amado sobre todas as coisas;
- Propor uma maneira de pregar o Evangelho à família.

Material Didático
Fotos e reportagens falando respeito dos cristãos perseguidos.
Quebrando a Rotina
Em uma roda de conversa, pergunte-a classe se alguém já sentiu vontade de pregar o evangelho e se de alguma maneira percebeu-se impedido. Mostre a classe que vários cristãos são impedidos de pregar o amor de Deus, sendo alguns deles perseguidos e até condenados a morte. E que apesar de vivermos em um país com liberdade religiosa, ainda assim, muitos cristãos encontram dificuldades para professarem a sua fé, até mesmo, dentro de casa. A ideia deste diálogo é lançar a classe o seguinte questionamento: O que fazer quando somos impedidos de pregar o Evangelho?

ESTUDANDO A BÍBLIA
O Brasil é um Estado laico, cuja premissa é a não intervenção do Estado no âmbito religioso, o que significa que diversas religiões podem se manifestar livremente em nosso país. Por isso é muito comum entre os adolescentes a religião dos pais serem diferente das deles. Adolescentes frequentemente são levados a Cristo por seus amigos e o processo de evangelização é contrário nesse caso, pois os filhos é quem vão evangelizar os pais. Essa é uma oportunidade de ouro para capacitar os adolescentes da sua igreja a serem efetivos e assertivos servos do Reino em casa. Mais uma vez, a sabedoria em tratar desse tema será cruciai para ensinar aos adolescentes em como proceder no campo missionário, isto é, a sua casa. Ajude-os a buscar uma sólida relação com Deus e sua Palavra, revestindo-se de todo instrumento de Deus.

Clique e acesse


Por certo, e por diversas vezes, você já se viu em situações em que não concorda com a opinião e a escolha de seus pais. Ê não há nada de errado nisso.

Por sermos diferentes é bastante comum que essas diferenças apareçam em nossas escolhas. Mas como sabemos, a Bíblia nos orienta sobre a maneira de como Deus espera que tomemos as nossas decisões e de como amá-Lo acima de todas as coisas. O nosso Deus não quer ser o motivo de brigas e desentendimentos em sua família e, por isso, Ele deseja lhe mostrar como ser um instrumento de salvação em sua própria casa.

A religião
Você saberia explicar o que é religião? Podemos entendê-la como o conjunto de práticas e crenças relativas às coisas sagradas que é adotado por um grupo de pessoas. Por exemplo, você muito provavelmente está em uma igreja cristã, que por sinal é classificada como parte de uma estrutura religiosa em nosso país. Uma de nossas práticas é o hábito de se reunir regularmente para cultuar a Deus e uma crença nossa é a da inspiração divina da Bíblia, pois cremos que Ela é a Palavra de Deus.

Nós vivemos num país de liberdade religiosa, onde cada cidadão tem o direito de exercer a religião que lhe agradar. Nós somos cristãos, seguidores de Jesus Cristo, o que nos coloca numa posição de extrema importância na diversidade religiosa, pois o nosso Senhor nos ensinou que devemos amar a todo ser humano indistintamente da sua religião. Isso não quer dizer que devemos concordar ou apoiar em tudo a quem pensa diferente de nós, mas que precisamos afirmar os nossos pontos de fé, entretanto, sem infringir o mandamento áureo que Jesus nos entregou (Mc 12.31). E o primeiro lugar onde enfrentamos essa situação é em nossa família.

AUXÍLIO HISTÓRICO
Percentual de Crentes: No ano 1000, a população do mundo era de 269 milhões de pessoas (aproximadamente, o número de habitantes dos Estados Unidos hoje). Havia cerca de cinquenta milhões de cristãos, ou aproximadamente 19% da população mundial. Antes do ano 2000, a população da terra ultrapassava a marca de seis bilhões de pessoas. O percentual de cristãos era de aproximadamente 32,4%. Embora seja uma boa notícia, o percentual caiu levemente em relação a 1900. No século XX, ou, conforme alguns o chamam, o grande século missionário, houve o maior crescimento na história do cristianismo. Em 1900, o percentual de cristão esteve o tempo todo no alto índice de 34,2%. De acordo com Patrick Johnstone, de alguma maneira, 30% da população terrestre se identifica com o cristianismo. Contudo, apenas 6% são protestantes, e 6% por cento, evangélicos. Lembre-se, estas estatísticas referem-se ao filho de alguém- neste caso, de Deus" (GARLOW, James L. Deus e seu Povo. Rio de janeiro: CPAD, 2008, p.328).

As religiões dos meus pais são diferentes, e agora?
Como abordar o assunto dentro de casa?
O melhor caminho é sendo um exemplo de servo do Senhor, vivendo em amor e respeito. Jamais esqueça que eles são seus pais, a Bíblia nos ordena que devemos honrá-los e isso não depende de qual seja a sua religião.


E por amá-los é que devemos insistir em levá-los a conhecer a mensagem do Evangelho. Certa vez Jesus foi visto por alguns homens pregando e ensinando como quem tinha autoridade para falar, pois viram que Ele vivia o que pregava e isso lhe dava autoridade e peso em suas palavras. Se você é um cristão e quer pregar o amor de Deus, antes de fazê-lo, viva em obediência com suas atitudes e, em seguido, pregue o amor de Deus.

A Palavra nos ensina que Deus é amor e que em Jesus podemos entender mais facilmente o que é amar. A vida de Jesus é um exemplo claro, sua obediência até o fim e o seu empenho em fazer sempre a vontade do Pai nos ensina o que é amar a Deus acima de todas as coisas. Em Gálatas 1.4 vemos que por obediência a Deus,
Jesus se entregou para ser morto por nós. Com certeza não há maior demonstração de amor do que essa.

Se você ama a Deus, deve também amar o seu próximo (1 Jo 4.21). E não há outra maneira de expressar o seu amor, a não ser se colocando no lugar do próximo, assim como Cristo se fez próximo de nós. Por isso, antes de tomar qualquer atitude pense: como você gostaria de ser tratado em tal situação? Agindo assim, você demonstrarão seu amor ao próximo e consequentemente também a Deus, mesmo em situações de diferenças.
AUXÍLIO TEOLÓGICO
O sumo da lei, segundo Jesus, é que amemos a Deus de todo o nosso coração e alma, e ao próximo como a nós mesmos (Mt 22.37-40). [...] Deus criou pessoas a que Ele os ordena que amemos, e cuja dignidade e liberdade temos de respeitar. Temos de ver todas as pessoas sob esta luz. Isto não depende do fato de serem iguais ou diferentes de nós, ou se são santas ou pecadoras. A Escritura não nos oferece uma lista de checagem de todos os direitos humanos específicos e ou nos explica como estes devem ser protegidos em todas as circunstancias. Não obstante, os direitos humanos podem ser deduzidos da ideia dos seres humanos divinamente criados como objetos do amor e da graça de Deus que como seres autónomos e racionais exercem escolha moral. Negar a tais pessoas a liberdade necessária para exercerem seus atributos divinamente dados seria destruir os preciosos direitos concedidos diretamente pelo Altíssimo (PALMER, Michael D. (Ed.). Panorama do Pensamento Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, pp.441,42).

Pregação sem palavras
E natural que conhecendo o amor de Deus, tenhamos o desejo de pregá-lo a todas as pessoas que conhecemos, principalmente, as da nossa família. Que cristão não tem o desejo de dizer "Eu e minha casa servimos ao Senhor"? Porém, o serviço a Deus e a pregação do Evangelho devem ser feitos com sabedoria e cuidado. Caso contrário, não alcançaremos o objetivo de levarmos o Evangelho.

Vejamos algumas orientações encontradas na Bíblia para esse fim:
A palavra não pode ser mentirosa. "Deus disse: Este povo com sua boca diz que me respeita, mas na verdade seu coração está longe de mim. A adoração deste povo é inútil..." (Mt 15.8,9). Somos um instrumento para outras pessoas conhecerem a Deus. Mas Deus só aceita a nossa adoração e nos usa quando esta for feita em espírito e em verdade.
A boca fala do que o coração está cheio (Mt 12.34). As palavras ditas por você refletirão o sentimento do seu coração. Se você diz ter o amor de Deus como pode usar palavras que não refletem esse amor? Jesus disse que o que sai da boca contamina o homem porque isso vem do coração (Mt 15.18). Para que sua boca diga palavras purificadoras, tenha um coração segundo o coração de Deus.

Atender ao chamado de Deus para ser um anunciante das Boas Novas vai muito além de pregar palavras. Servimos a Deus a todo tempo, inclusive quando estamos calados. fim Mateus 25.40 Jesus nos diz que quando fazemos algo para um necessitado, na verdade fazemos a Ele. Hoje, temos os mais diversos tipos de necessitados, pessoas com fome, frio, carentes de atenção e de amor. Cuidar destas pessoas com amor é a maneira mais eficaz de falar alto do amor de Deus.

AUXÍLIO DIDÁTICO-TEOLÓGICO
Como desmembramento do mandato do Senhor — E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura (Mc 16.15) —, devemos depreender que o caminho da vida cristã é o de levar a Boa Nova. Consideremos também o poder de influência do exemplo pessoal, não é por menos que o próprio Jesus se fez homem à discipular outros homens. E dEle o Novo Testamento testifica em vários textos que o seu exemplo era percebido com clareza e autoridade, e com isso o seu discurso tinha um impacto profundo na vida dos seus ouvintes. Dentro de casa, os adolescentes podem agir como exímios missionários, pregando a mensagem do Evangelho, por intermédio das suas atitudes, a toda família.

Conclusão
Nossos pais são as pessoas que mais amamos, e por isso queremos vê-los sempre felizes. Porém, às vezes não conseguimos corresponder as suas expectativas e tomamos decisões contrárias a suas vontades. Caso a decisão de seguir a Cristo seja somente sua e não de toda a sua família, não se revolte e tão pouco volte atrás da sua decisão. Mas que através de você e das suas atitudes, a sua família veja a demonstração do amor de Deus.

Recapitulando
Religião é um conjunto de práticas e crenças relativas às coisas sagradas que é adotado por um grupo de pessoas, e como vivemos num país de liberdade religioso, cada cidadão tem o direito de participar da religião que lhe agradar. Assim, dentro da nossa família podemos ter pessoas de outras religiões.

Não devemos esquecer que por serem nossos pais, a Bíblia nos ordena que devemos honrá-los, e isso não depende de qual seja a religião deles. Devemos amá-los e insistir em levá-los a conhecer a mensagem do Evangelho. Porém, o serviço a Deus e a pregação do Evangelho devem ser f eitos com sabedoria e cuidado. Pregue o tempo todo e se necessário utilize as palavras, ou seja, pregue o Evangelho com a sua vida, pois esta será a melhor pregação que a sua família "ouvirá".

Refletindo
1. O que é religião?
R: É um conjunto de práticas e crenças relativas a coisas sagradas que é adotado por um conjunto de pessoas.
2. Qual é o maior e o mais importante dos mandamentos?
Amar a Deus, com todo o coração, com toda alma e toda a mente.
3. Como deve ser feita a pregação do Evangelho?
R: Com sabedoria e cuidado.


Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 2° trimestre de 2018, CPAD – Divulgação: Subsídios EBD



 
Top