{ FECHAR }

CLIQUE AQUI



Classe: Adolescentes – 3° Trimestre de 2018 - Lição da revista do Professor
TEXTO BÍBLICO
Atos 2.1-11,37-41
Destaque
“0s apóstolos faziam muitos milagres e maravilhas entre o povo, e os seguidores de Jesus se reuniam no Alpendre de Sa­lomão” (Atos 5.12).
LEITURA DEVOCIONAL
SEG. ...................................... Jo 17.20,21
TER. ....................................... At 2.43-47
QUA. .................................. 1Tm 3.15,16
QUI. ........................................ At 11.19
SEX. ........................................ At 15.1-6
SÁB. .................................... At 17.4-6
DOM................................... Rm 15.26
OBJETIVOS
- Descrever o nascimento da Igreja no dia de Pentecostes;
- Mostrar o método de evangelização da Igreja Primitiva;
- Narrar as primeiras perseguições sofridas pela Igreja.
Material Didático
Quadro branco, caneta pincel e apagador.

QUEBRANDO A ROTINA
Para a realização dessa atividade será necessário que você faça o trabalho de um pesquisador. Pesquise na secretaria de sua igreja, ou com os membros mais antigos, alguns dados sobre a fundação e evolução de sua igreja.
 
Comece a aula escrevendo no quadro branco o nome de sua igreja local e em seguida escreva as seguintes perguntas: "Qual a data de fundação?’; "Quem foi o primeiro pastor?”; "Quantos pastores antecederam ao pastor atual?”; "A igreja sempre esteve localizada neste endereço?”; “Quantos membros ela tinha na data de fundação?”;
"Quantos membros possui atualmente?”
Aguarde as respostas de seus alunos e responda as que eles não souberem. No final, conscientize seus alunos sobre a importância de se conhecer a comunidade eclesiástica a qual eles pertencem.
ESTUDANDO A BÍBLIA
Corpo de Cristo, "Noiva do Cordeiro”, "Assembleia dos Santos”. Estes e outros adjetivos são usados em relação à Igreja fundada por Jesus Cristo. Segundo o pastor Claudionor de Andrade, Igreja é o "organismo místico composto por todos os que aceitam o sacrifício vicário de Cristo, e têm a Palavra de Deus como a sua única regra de fé e conduta” (ANDRADE, Claudionor Corrêa de. Dicionário Teológico).

Será que os nossos alunos se enquadram nessa definição? Ensinar na Escola Dominical vai muito além de preparar a aula durante a semana e ministrá-la no domingo, requer uma constante preocupação com a espiritualidade dos alunos. Ore por seus alunos, para que eles tenham uma vida cristã saudável e façam sempre parte da Igreja de Cristo.
É comum afirmar que a Igreja nasceu a partir do chamado de Jesus aos seus discípulos, mas ela só começou o seu trabalho de evangelização, dando testemunho de Cristo em Jerusalém, na festa de Pentecostes. Neste dia, foi cumprida a promessa de Jesus (At 1.8) e os seus discípulos foram revestidos de poder celestial.

Na festa de Pentecostes, judeus de todas as localidades do Império Romano vinham adorar a Deus em Jerusalém (At 2.5-11), pois o Templo era o único santuário religioso judaico no mundo. O número de visitantes era muito grande e superava muito o da população da cidade. Cheio do Espírito Santo, Pedro fez uma poderosa pregação, conforme o livro de Atos afirmando, finalmente, que o Messias prometido havia chegado, usando textos do Antigo Testamento para confirmar que o Messias era Jesus, lembrando fatos da vida do Nazereno, principalmente a sua ressurreição e fazendo um apelo para que todos se arrependessem dos seus pecados (At 2.14-36). Em resposta à pregação de Pedro, três mil pessoas se converteram e foram batizadas (At 2.41). Igualmente, devemos também pedir a Jesus para que sejamos revestidos de poder e tenhamos autoridade para testemunhar do seu santo nome.

AUXÍLIO TEOLOGICO
Na primeira proclamação da Lei, 3000 pessoas foram destruídas (Êx 32.28). Na primeira proclamação do Evangelho 3000 foram salvas. Distingue-se assim, significativamente, a natureza das duas dispensações:
'E naquele dia agregaram-se quase três mil almas’. Nota-se que não foram acrescentadas a fim de serem salvas, mas porque já eram salvas. Acrescentar pessoas à igreja na esperança de que, depois, cheguem a ser salvas não é o método do Novo Testamento. Foi o Senhor quem acrescentou estas 3000 pessoas (v.47). As que forem acrescentadas por qualquer outro método devem ser deduzidas da contagem. Somente uma igreja pura tem condições de ser poderosa e permanente (PEARLMAN, Myer. Atos: A Igreja Primitiva na força e na unção do Espírito. Rio de Janeiro, CPAD, 2004, pp.37,38).

O trabalho dos primeiros missionários
Os apóstolos começaram a sua missão em Jerusalém. O Evangelho foi primeiramente pregado aos Judeus. Os apóstolos ainda não haviam compreendido que eles deveriam pregar o Evangelho para todas as pessoas, fossem judeus ou não.

A Igreja em Jerusalém aumentava cada vez mais, fazendo com que os sacerdotes judeus ficassem com inveja e passassem a perseguir os discípulos. Após a morte do diácono Estevão por apedrejamento (At 7.54-60), os discípulos fugiram de Jerusalém, indo para terras mais distantes (At 8.1) e anunciando o Evangelho por onde passavam (At 8.4). Que esta atitude dos primeiros cristãos sirva de exemplo para nós! Anunciemos o Evangelho por onde passarmos!

O historiador da Igreja, Eusébio de Cesareia, que viveu entre os anos 263 - 340 d.C., afirma que devido aos esforços dos apóstolos e evangelistas, o cristianismo chegou a todo o mundo conhecido da época, em todas as cidades haviam igrejas cheias de membros de todos os povos. Os apóstolos levaram o Evangelho a todas as partes do Império Romano. Mas nenhum discípulo entendeu melhor a ordem de Jesus para pregar o Evangelho, a todos os povos, do que o Apóstolo Paulo.

Um feroz perseguidor da Igreja que, após seu encontro com Jesus, passou a proclamar para todos que Ele era o Filho de Deus (At 9.20).

Por ser cidadão romano, Paulo andava livremente por todas as cidades do império. Ao chegar às cidades, ele pregava primeiro na sinagoga aos judeus. Geralmente estes se recusavam em aceitar o Evangelho, então, o apóstolo passava a pregar aos não judeus, em qualquer lugar.

No ano 100 d.C., quase setenta anos após o revestimento de poder recebido pelos primeiros irmãos na festa de Pentecostes; a igreja, que havia começado com 120 membros, tinha se espalhado por todo o Império Romano. Muito deste crescimento se deve aos esforços dos apóstolos em pregara mensagem que haviam aprendido de Jesus, mas o maior esforço foi feito por discípulos e missionários de nomes desconhecidos. Cada cristão era um missionário que tinha prazer em compartilhar a alegria da vida por intermédio de Jesus. Então, falavam de Cristo no seu trabalho e em qualquer lugar que por onde passavam. Devido a este trabalho anônimo, os primeiros cristãos são considerados os maiores missionários do cristianismo antigo. Que o exemplo dos irmãos do passado sirva de inspiração para nós!
 
Clique e acesse
AUXÍLIO TEOLÓGICO
A primeira igreja foi composta quase exclusivamente por judeus. Eles não se separaram imediatamente da Lei de Moisés e suas tradições nacionais. Havia o perigo dos cristãos judaicos, em Jerusalém, se apegarem demasiadamente à Antiga Aliança. Assim seriam impedidos de cumprir a missão ás nações. Por muitos anos, de fato, a pregação do Evangelho limitou-se aos judeus.

A Igreja, no entanto, não ficou a mercê da inércia e tradição humanas. O cabeça da Igreja tomou as medidas necessárias.
[...] O método empregado foi a perseguição despertada pelo ministério de Estêvão.

Alguns podem ter pensado que Estevão se excedeu em seu zelo. O martírio, porém, deu seu fruto. Os crentes, expulsos de Jerusalém pela perseguição, foram pregando pelo caminho até Antioquia. Aqui estabeleceram uma grande igreja entre os gentios. Além disto, o testemunho de Estevão deve ter falado profundamente ao coração de Paulo que por sua vez foi apedrejado várias vezes pelos judeus. Naquela ocasião, talvez, nem Paulo nem Estêvão pudessem ter imaginado qual era o plano de Deus (PEARLMAN, Myer. Atos: A Igreja Primitiva na força e na unção do Espírito. Rio de Janeiro, CPAD, 2004, pp.81,84).

As primeiras perseguições do Império Romano

O cristianismo nasceu do judaísmo. Entretanto, os primeiros cristãos, na sua maioria judia, não achavam que faziam parte de uma nova religião, pois acreditavam apenas que Jesus era o Messias prometido pelo Antigo Testamento. Da mesma forma que os judeus tradicionais não viam o cristianismo como uma nova religião, mas uma ameaça de contaminação ao judaísmo, eles foram os primeiros perseguidores da Igreja. O Império Romano via essa questão como um conflito entre judeus, e deixava que eles mesmos resolvessem o problema (At 18.12-16), se envolvendo somente quando este conflito causava grande tumulto (At 21.30-32).

Com o crescimento do cristianismo entre os não judeus, estes passaram a ser a maioria dos membros da igreja, e a consequência deste crescimento é que o cristianismo se separou definitivamente da religião judaica e passou a ser considerado pelo Império Romano uma religião independente. Esse crescimento chamou a atenção do poder imperial, pois a pregação da igreja era contrária a muitas leis romanas. Em Roma, a lei obrigava a todos os cidadãos prestarem um culto de adoração ao Imperador e aos deuses romanos, sendo que todos acreditavam que esse culto fazia com que o Império crescesse cada vez mais. Os cristãos negavam-se a participar desses cultos, pois adoravam somente a Jesus Cristo. A Igreja ensinava que todos os homens eram iguais. Senhores e escravos eram tratados da mesma maneira. Naturalmente, Roma considerava isso um absurdo.

Nero, que reinou entre os anos 54 – 68 d.C., foi o primeiro imperador a perseguir os cristãos. No ano de 64, a cidade de Roma foi praticamente destruída por um incêndio.

Grande parte da população desconfiava que o próprio imperador houvesse mandado destruir a cidade para então reconstruí-la ao seu gosto, por isso, todos exigiam que um culpado fosse encontrado e punido.

Aproveitando-se que grande parte da população não gostava dos cristãos, o imperador passou a acusá-los e a persegui-los. Eusébio de Cesareia afirma que durante esta perseguição Paulo foi decapitado, e Pedro foi crucificado de cabeça para baixo. Muitos cristãos se escondiam nos cemitérios da cidade, outros foram crucificados e queimados vivos, outros foram entregues para serem devorados pelos leões. Apesar de ter sido cruel, a perseguição aconteceu somente na cidade de Roma, não alcançando todo o Império.  No ano 68, Nero suicidou-se.

No ano 81, Domiciano assume o poder e no início de seu reinado trata os cristãos com tolerância, mas depois passa a persegui-los por considerar o cristianismo uma ameaça ás tradições romanas. Sua perseguição aconteceu na cidade de Roma e na Ásia Menor, onde o número de cristãos era muito grande.

Nesta época, João era o último apóstolo vivo. Após várias tentativas do imperador em matá-lo, João foi mandado preso para a ilha de Patmos (Ap 1.9), onde escreveu o livro do Apocalipse. No ano 96, Domiciano é assassinado e João, solto. Ele, então, volta para Éfeso onde pastoreia a igreja desta cidade até morrer aos 100 anos de idade.

AUXÍLIO HISTÓRICO
Pouco se sabe a respeito desta perseguição [de Domiciano]; mas esse pouco é sem dúvida interessante. E entre os muitos mártires que sofreram, encontra-se João, o discípulo amado de Jesus, e Timóteo, a quem Paulo escreveu com tão afeiçoada solicitude. Diz a tradição que o primeiro foi lançado por ordem do tirano, numa caldeira de azeite fervente, mas, por um milagre, saiu de lá ileso. Incapaz de o ferir no corpo, o imperador desterrou-o para a ilha de Patmos, onde foi obrigado a trabalhar nas minas. Foi ali que ele escreveu o livro de Apocalipse, e teria sem dúvida terminado ali mesmo a sua vida, se não fosse a inesperada morte do imperador, assassinado pelo próprio administrador da sua casa, no dia 18 de Setembro de 96 d.C. Sendo então o apóstolo João posto em liberdade, voltou para Éfeso, onde escreveu a sua história do Evangelho e as três epístolas que têm o seu nome” (KNIGHT A.; ANGLIN W. História do Cristianismo: Dos apóstolos do Senhor Jesus ao século XX. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, pp.14,15).

Conclusão
A partir dos acontecimentos ocorridos na Festa de Pentecostes, a Igreja passa a fazer parte da história da humanidade. As atitudes dos primeiros cristãos mudaram o comportamento de grande parte da sociedade. Também devemos influenciar as pessoas que estão a nossa volta, pois o fundador da Igreja as chamou para ser "sal para a humanidade” e "luz para o mundo” (Mt 5.13,14).

Recapitulando
O trabalho evangelístico da Igreja começou dez dias após o retorno de Jesus para o céu, em Jerusalém, na festa de Pentecoste. Nesta ocasião, a cidade estava cheia de visitantes. Após uma pregação do apóstolo Pedro, três mil pessoas foram batizadas.

Os discípulos não haviam entendido que deveriam pregar para todas as pessoas. No início eles ficavam em jerusalém e pregavam só para judeus. Após a perseguição feita pelos líderes judeus, os discípulos fugiram.

Os apóstolos evangelizaram em todos os lugares, mas o crescimento da igreja se deve aos crentes comuns que pregavam por onde passavam.

Os judeus foram os primeiros perseguidores da Igreja, mas com o
crescimento de não judeus entre os membros, o Império Romano também passou a perseguir os discípulos de Cristo.

Refletindo
1. Você tem pregado o Evangelho por onde anda?
Resposta pessoal.
2. Você prega o Evangelho para qualquer pessoa?
Resposta pessoal.
3. Você sofre, ou já sofreu alguma vez perseguição pelo fato de ser cristão?
Resposta pessoal.

Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 3° de 2018
Editora: CPAD
Revista do Professor
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 3° trimestre de 2018, CPAD – Divulgação: Subsídios EBD
    



 
Top