FECHAR <----

CLIQUE AQUI
 

Classe: Adolescentes – 3° Trimestre de 2018 - Lição da revista do Professor
TEXTO BÍBLICO
Mateus 7.24-27
Destaque
"Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança na mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele” (Romanos 12.2).
LEITURA DEVOCIONAL
SEG.................................................... Jo 14.6
TER.................................................. 1 Tm 2.5
QUA.................................................. SI 119.130
QUI.................................................... Is 45.20
SEX.................................................... Hb 11.6
SAB................................................... Jr 3.15
DOM.................................................. Rm 11.33-36
OBJETIVOS
Relatar os antecedentes da Reforma Protestante;
Ensinar o que levou Lutero a fazer a Reforma Protestante; Demonstrar as conquistas da Reforma Protestante.

Material Didático
Fotos de uma Bíblia e fita adesiva.
QUEBRANDO A ROTINA
Antes dos alunos chegarem à sala, prenda com a fita adesiva, embaixo de cada cadeira, a foto de uma Bíblia.

Comece a aula fazendo uma leitura da parábola do "Tesouro Escondido” (Mt 13.44). Após a leitura, pergunte aos seus alunos qual seria a reação deles se soubessem que tem um tesouro que muitas pessoas não tiveram acesso, escondido embaixo da cadeira de cada um. Espere que retirem as fotos e diga que a Bíblia foi um tesouro escondido pela própria igreja para muitas pessoas. Mas após a Reforma Protestante, nós tivemos livre acesso a esse maravilhoso presente de Deus. Conscientize seus alunos sobre o privilégio que eles possuem em ter livre acesso à Bíblia e que, infelizmente, em muitos países, a maioria dos servos de Deus está proibida de ler as Escrituras.

ESTUDANDO A BÍBLIA
Como anda a sua leitura bíblica devocional? Você tem separado um tempo para se dedicar a ela, ou os afazeres diários não têm permitido que você reserve um tempo para a sua edificação espiritual?

Como ensinadores cristãos, muitas vezes somos tentados a dedicar nosso tempo somente com a leitura de obras teológicas e negligenciar a fonte de toda a teologia que é a Palavra de Deus.

A Bíblia é o livro por excelência da Escola Dominical, pois nos reunimos neste período dominical justamente para estudar seu conteúdo. Lembre-se de que a Bíblia é o nosso alimento espiritual, ela é insubstituível na vida do servo de Deus.

Não negligencie a leitura devocional, faça disso uma rotina diária, então você verá que suas aulas, sua vida e seu relacionamento com Deus ficarão cada vez melhores.
 
Clique e acesse
Infelizmente, com o tempo a igreja perdeu a pureza dos ensinos de Jesus e dos apóstolos. Deixou de pregar uma mensagem de amor e passou a roubar, a perseguir, a torturar e a matar quem pensasse diferente.

Não era mais a Igreja "Católica”, em que todos os cristãos eram "os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele” (1 Pe 2.9); mas agora era a "Igreja Católica Romana”, não mais submissa ao seu fundador Jesus Cristo, mas ao papa romano, onde o cristão comum não era considerado parte da Igreja, apenas um mero expectador que deveria somente cumprir ordens para não ser lançado no inferno. Não podia lera Bíblia, pois estava escrita em latim, uma língua que apenas os líderes dessa estranha igreja entendiam.

Tentativas de mudança

No ano 1175 d.C., um rico francês chamado Pedro Valdo contratou dois padres para traduzir partes da Bíblia para o francês (traduzir a Bíblia era um crime punido com a morte). Ele deu toda a sua fortuna para os pobres (Mt 19.21), e começou a viajar pelos lugares ensinando que a Bíblia era a única autoridade na vida do cristão, que a adoração aos santos era errada e que não existia o purgatório. Fez muitos seguidores que foram chamados de "valdenses”. Sua pregação irritou a liderança da igreja que passou a persegui-los. Eles fugiram, foram caçados como animais, e muitos foram presos, torturados e mortos, mas o movimento não parou de crescer.

Na Inglaterra, no ano de 1376, um professor de teologia, com um nome muito difícil, chamado John Wycliffe começou a pregar contra a situação da igreja e seu grande acúmulo de riqueza. Wycliffe mostrou que o ensinamento dado pela igreja era contrário ao que estava na Bíblia. Só não foi preso e morto porque algumas pessoas ricas o protegeram. Ele conseguiu traduzira Bíblia para o inglês, e passou a ensinar que o papa era um homem comum e que Cristo é o cabeça da Igreja (Cl 1.18). Ainda acusou a liderança de querer somente enriquecer e não cuidar dos pobres. John Wycliffe morreu no ano de 1384, e quarenta anos após sua morte o papa Martinho V mandou que desenterrassem seu corpo, queimassem e espalhassem suas cinzas no rio.

Em 1402, na Boêmia (atual República Tcheca), o padre John Huss lê os livros de Wycliffe e começa a ensinar as suas idéias, pregando na língua que o povo pudesse entender. Foi perseguido, preso e condenado a ser queimado vivo. Sua morte ocorreu no dia 6 de julho de 1415. O que Huss fez para merecer uma morte tão horrível? Apenas acreditar e ensinar que a Bíblia é a Palavra de Deus e autoridade final na vida da Igreja. Acreditava que o perdão de Deus não pode ser comprado com dinheiro (At 2.38), que a igreja deve ser simples e santa, e que os bispos devem cuidar de suas ovelhas diligentemente (jr 3.15). Será que temos a coragem de Huss, em preferir morrer, mas não negar a verdade?
 
AUXILIO HISTORICO
Na Idade Média, muitos líderes da igreja eram tão corruptos que é ofensivo mencionar os pecados específicos que eram cometidos pelo clero. Contudo, Deus ainda não acabara a sua obra: a Igreja! Na verdade, Ele nunca acabou esta obra! Está sempre operando, às vezes nos bastidores da história, para realizar a sua vontade, restabelecer a sua Igreja verdadeira, viva e boa.

Em 1150, Deus trouxe à cena os três primeiros gigantes espirituais que dariam a vida pela causa da verdade neste período histórico. Inspirado no exemplo deles, Martinho Lutero daria os passos para tirar a igreja de sua letargia, decadência e corrupção teológica (GARLOW, James L. Deus seu Povo: A História da Igreja como Reino de Deus. Rio de Janeiro: CPAD, 2011, pp. 109,10).

Enfim a mudança

Em 1513, Giovanni di Lorenzo de Mediei assume o papado e passa a chamar-se Leão X. Como papa, combateu todo o tipo de escravidão e fez muitas obras de caridades. Amava as artes, e quis transformar Roma no centro cultural da Europa. Gastou muito dinheiro construindo a Basílica de São Pedro (aquela que existe até hoje no Vaticano) e ajudava reis e seus amigos a lutarem inúmeras guerras que aconteciam nesta época na Europa.

Para conseguir mais dinheiro aumentou a venda de indulgências. Mas o que é isso? Indulgência era um perdão concedido pelo papa para as almas que estavam no purgatório, local que, segundo a Igreja Católica, ficava as almas antes de ir para o céu. Então se alguém comprasse uma indulgência, teria seus pecados perdoados e quando morresse iria direto para o céu. Poderia também salvar a alma de algum parente morto, tirando-a do purgatório.

Esse comércio da fé chega â Alemanha, onde morava um padre chamado Martinho Lutero, que acreditava que a salvação é conseguida pela fé, sendo esta um presente dado por Deus (Ef 2.8).

Não concordando com a situação da Igreja, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero pregou na porta da igreja de Wittenberg (outro nome difícil), um convite escrito em latim para que outros teólogos viessem debater sobre esta situação. Nele estavam escritas as 95 questões que seriam debatidas. 0 que Lutero não imaginava é que em três semanas suas “95 teses” seriam traduzidas e seus ensinamentos se espalhariam por toda a Alemanha.

Lutero escreveu vários livros e seus ensinamentos fizeram que a venda de indulgências caísse, o que irritou muito Leão X. No ano 1521, foi convidado a participar da Dieta de Worms. Não é o que parece! Lutero não estava preocupado com seu peso! Dieta era um debate, e esse debate aconteceria na cidade de Worms. Mas não houve debate, a igreja queria que Lutero se desculpasse pelo que tinha dito e escrito, o que ele não fez.

Lutero só não foi para a fogueira porque muitas pessoas ricas que eram suas amigas o protegeram. Seus amigos o esconderam por oito meses no castelo de Wartburg, (como os nomes alemães são difíceis!) onde traduziu o Novo Testamento para o alemão.

A porta do Evangelho estava novamente aberta. A Igreja Romana não conseguiu evitar que os ensinos de Lutero se espalhassem por toda a Europa. Homens como Ulrico Zuínglio e João Calvino foram influenciados e passaram a ensinar as verdades bíblicas fazendo assim que milhares de pessoas abandonassem o catolicismo.
 
Clique e acesse
CURSO
A reação romana

Em 1545, com a Europa dividida entre Católicos e Protestantes, o papa Paulo III convoca na cidade de Trento uma reunião que duraria 18 anos e ficaria conhecida como "Contra-Reforma”.

Seu principal objetivo foi combater o crescimento do movimento iniciado por Lutero, e algumas práticas na igreja que causavam escândalos foram mudadas. Foi exigido que os padres e outros líderes católicos tivessem uma vida cristã.

Mas muitas doutrinas católicas foram reafirmadas, como o culto aos santos, a existência do purgatório, que a missa pode ser oferecida em favor dos mortos, etc. Todos os livros escritos por líderes protestantes e traduções feitas da Bíblia foram considerados proibidos, sendo a Bíblia em latim a única permitida.

A igreja enviou missionários conhecidos como "jesuítas” para todas as partes do mundo, algo que os protestantes não estavam fazendo. Esses Jesuítas foram para lugares desconhecidos na época como a China, a Índia e o Japão. Foram também enviados para o recém-descoberto continente americano, inclusive para o Brasil, aonde chegaram em 1549.

AUXÍLIO HISTÓRICO
O Concilio de Trento (1545) tinha como objetivo declarado a nobre intenção de restaurar a igreja ao desígnio original de Deus. [...] Um relatório oficial indicava que o clero era mundano, que os administradores recebiam suborno, que havia muita imoralidade, que as indulgências eram uma mera desculpa para a ganância, e que a prostituição grassava desenfreadamente em Roma. 0 Concilio encontrou-se esporadicamente de 1545 a 1563 para lidar com tais problemas. Uma das conquistas positivas foi a abolição da venda de indulgências, prática contra a qual os protestantes pregaram durante anos. No entanto, o Concilio não pode acabar com a profunda ruptura entre católicos e protestantes.

O Concilio reafirmou as posições teológicas da Igreja Romana. Mantiveram os sete sacramentos, ao passo que os protestantes conservavam apenas dois: batismo e comunhão. Reiteraram a crença na transubstanciação. Insistiram em que a missa tinha de ser realizada em latim. E, por fim, a decisão mais ofensiva para os protestantes foi o fato de não permitirem que as pessoas comuns tivessem Bíblias, sob a alegação de que os leigos viessem interpretar as Escrituras de maneira inadequada. Assim, o Concilio de Trento realizou apenas modificações menores na igreja e aprofundou a cisão entre católicos e protestantes (GARLOW, James L. Deus e o seu Povo: A História da igreja como Reino de Deus. Rio de Janeiro: CPAD, 2011, pp.146,47).

Conclusão

Na Idade Média a igreja estava muito doente, quase morrendo. Podemos dizer que não estava completamente morta devido a homens e mulheres, verdadeiramente cristãos, que desejavam uma mudança.

Lutero não tinha a intenção de dividir a igreja, mas queria apenas ajudar na sua reforma como o catolicismo não queria mudar, não houve alternativa. A Igreja estava definitivamente dividida.

Somos herdeiros desta reforma, pois temos livre acesso à Bíblia e somos participantes da vida da Igreja. Muitos homens e mulheres morreram para que isso fosse possível.

RECAPITULANDO

A igreja estava cada vez mais distante dos ensinos de Jesus, mas foram feitas algumas tentativas de mudanças. Pedro Valdo, em 1175; John Wycliffe, em 1376; e John Huss, em 1402; tentaram essas mudanças, mas foram duramente perseguidos pela igreja e pelo papa. Entretanto, em 1517, as mudanças começaram a acontecer com Martinho Lutero e suas famosas "95 Teses”. Estas condenavam os ensinos errados da igreja romana. Lutero só não foi morto porque contava com a proteção de pessoas ricas. Escondido durante oito meses, ele traduziu o Novo Testamento para o alemão. Seu pensamento espalhou-se por toda a Europa, dividindo definitivamente os cristãos entre católicos e protestantes.

A Igreja Católica reagiu reafirmando sua doutrina, enviou missionários conhecidos como "Jesuítas” para todo o mundo, inclusive para o recém-descoberto Brasil.

Refletindo

1. O que a Reforma Protestante significa para você?
Resposta Pessoal.

2. Cite algumas conquistas da Reforma Protestante?
Temos livre acesso a Bíblia e somos participantes da vida da igreja.

3. Você tem valorizado tudo o que foi conquistado pela Reforma Protestante?
Resposta Pessoal.

Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 3° de 2018
Editora: CPAD
Revista do Professor
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 3° trimestre de 2018, CPAD – Divulgação: Subsídios EBD


 
Top