{ FECHAR }

CLIQUE AQUI


Periodicamente, uma igreja deve determinar se possui o melhor programa possível, ao mais baixo custo unitário possível. Como bons administradores dos recursos que lhes foram confiados por Deus e pelos membros da igreja, a liderança da igreja deve ter uma sólida política de administração financeira. Uma igreja precisa ter uma sólida administração financeira para que possa atingir os seus objetivos. 
A administração da igreja deve estar interessada o bastante na missão da igreja e na sua própria proteção para estabelecer um sólido sistema financeiro. Essa equipe de administração inclui o pastor, a diretoria da igreja, o comitê financeiro, o tesoureiro da igreja, além do secretário financeiro. 


A maioria das igrejas deve ter pessoas com competência técnica em assuntos contábeis ou garantir ajuda externa. Na maioria dos estados, uma igreja deve se organizar como uma corporação, uma pessoa jurídica, para limitar a responsabilidade legal dos líderes da igreja e permitir que a organização possua bens e faça contratos.

As seguintes diretrizes ajudarão o planejamento financeiro:

1. A igreja deve fazer planos de forma a garantir a sua existência
contínua.

2. Os planejadores devem verificar os relatórios financeiros de recebimentos e desembolsos constantemente.

3. O planejamento de algumas porções do orçamento pode ser feito com base na renda projetada por meio de garantias.

4. O estabelecimento de uma reserva poderá fazer com que os membros reduzam as suas ofertas, por sentirem que a igreja tem disponível mais dinheiro do que é capaz de usar.

5. O orçamento anual deve ser dividido em períodos mensais ou trimestrais. A renda e as despesas reais do ano anterior devem ser analisadas, período a período, para que se possa enxergar o padrão de rendas e despesas. Os ajustes devem ser feitos com base nas conclusões tiradas a partir dessa análise.

A Lei da Administração

A administração de uma Escola Dominical crescente é imperativa.
À medida que a Escola Dominical cresce em números, é preciso acrescentar administradores que deem supervisão para que se tenha eficiência e alcance contínuo de pessoas. A Lei da Administração recomenda que os administradores representem 5% dos membros. Os administradores são a graxa e o óleo que mantêm a máquina da Escola Dominical lubrificada. Uma vez que a igreja é, ao mesmo tempo, um organismo e uma organização, a Escola Dominical deve ter organização para impedir que o alcance espiritual desmorone.

O que é organização?
É a ação ou o processo de colocar a pessoa certa, no lugar certo, para fazer a coisa certa, da maneira certa, com as ferramentas certas, na hora certa, com o propósito certo.

O Dom da Administração

 O dom da administração inclui a capacidade de perceber necessidades, organizar e administrar programas, e, então, avaliar os resultados, considerando os objetivos bíblicos. Os aspectos positivos desse dom incluem:

(1) a capacidade de ver a imagem global e pensar em objetivos de longo prazo;

(2) a capacidade de delegar tarefas a outras pessoas;

(3) a qualidade de ser orientado por tarefa, e não por pessoa ou necessidade;

(4) a capacidade de aconselhar e motivar outras pessoas, com respeito à tarefa; e

(5) a capacidade de avaliar tarefas por objetivos, e não por padrões perfeccionistas.

Entre as fraquezas desse dom se incluem:

(1) a aparência de desejar escapar ao trabalho (porque a pessoa delega);

(2) a aparência de ser insensível às pessoas e inflexível na obra de Deus (por estar comprometido com objetivos de longo prazo); e

(3) a aparência de ser um “burocrata glorificado”.

Uma pessoa que tenha esse dom precisa evitar o perigo de
(a) se tornar sedento por poder,
(b) usar pessoas para alcançar objetivos (manipulação) ou
(c) diminuir os padrões para usar qualquer pessoa (apesar de falhas de caráter ou erros doutrinários) para fazer um serviço.

Divulgação: www.subsidiosebd.com | TOWENS, Elmer L. Enciclopédia da Escola Dominical. Um guia de referência para a sua EB.  Edição: 1ª/2017 - CPAD



 
Top