{ FECHAR }

CLIQUE AQUI


Como entender Romanos 13.1 diante da atuação de autoridades sanguinárias?
Sempre deparamo-nos com esta indagação e passamos a considerar o ensino do apóstolo Paulo em sua carta endereçada aos cristãos romanos. Como compreender a existência de autoridades civis cruéis no mundo em que vivemos, diante do que o Apóstolo dos Gentios alertou a comunidade cristã na capital do Império, que não somente conquistou mas mantinha o mundo conhecido sob a sua égide? “Sendo o conceito de autoridade no Novo Testamento, vem termo grego exousia, que originalmente significava, o poder e a liberdade de escolha, e que veio a significar, o poder de direito de agir, possuir e controlar (dicionário bíblico Wycliffe, pg. 239). 


O governo civil é uma autoridade “delegada” por Deus para manter a ordem do povo, na comunidade em que vive, assim como a autoridade eclesiástica na igreja e os pais no lar, contra uma anarquia e a corrupção generalizada, para o bem-estar da comunidade.

Quanto ao governo humano, como instituição permanente a fim de administrar os assuntos relativos a sociedade, é representado por governantes bons e maus, tementes a Deus ou não, aqueles que comungam o cristianismo e a vontade de Deus e outros não, e os que usam mal os poderes a eles conferidos, ou usurpados.

Nos ensinamentos do apóstolo João, em sua primeira epístola, ele apresenta a conduta digna daqueles que servem a Cristo verdadeiramente; anda em novidade de vida, é luz e nele não há trevas, tem uma vida de santidade, enquanto “trevas” refere-se a uma vida de pecado. O cristão verdadeiro sente prazer na santidade e uma vida com Cristo, “andar na luz” e ter o caráter de Deus em sua vida. O apóstolo também apresenta uma sociedade distanciada de Cristo, ou seja, jaz no maligno (1 Jo 2.15,17; 5.19), este ambiente nefasto traz consequências morais, espirituais e materiais para a vida do homem. A existência de autoridades

cruéis neste mundo é o resultado direto do distanciamento do homem de seu Criador, tornando-o insensível, e o incapacita de ter uma vida dirigida pelos preceitos divinos. Mas a conduta do mundo que envolve concupiscências carnais, imoralidades, perversões, vantagens terrenas, fama, poder, prazeres, orgulho, egoísmo etc... passam a fazer parte do modo de vida destes homens ímpios, cuja existência encontra-se comprometida com o sistema mundano, este contaminado pelo pecado.
 

A história da humanidade apresenta com clareza que governos cruéis foram conduzidos por homens indiferentes a vontade de Deus, com a sua vida pautada na soberba, destilando arrogância e altivez. O distanciamento de Deus foi a causa que motivou essas autoridades a comportarem-se da pior maneira possível, de modo que eles mancharam com sangue a história deste mundo.

Contudo, ainda levantará o governante mais cruel e tirano que a humanidade já viu: o Anticristo, o representante do demônio e que, segundo as Sagradas Escrituras, vai oferecer oposição a Deus e exigir adoração a sua pessoa, mas neste período a igreja já estará com Cristo na glória celestial.
Reverberação: Subsídios EBD | Fonte: Jornal Mensageiro da Paz | Artigo: Pr. Marcos Liba de Almeida

Postar um comentário

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE O QUE VOCÊ LEU NESTA PÁGINA



 
Top